Categories
Funk

MC Mirella e MC Savinon estão juntas em “Tô Solteira e Tá Normal”

*Todas as fotos por: Léo Caldas // Portal KondZilla

Nesta quinta-feira (29), acontece o lançamento do videoclipe da música “Tô Solteira e Tá Normal”, da MC Mirella e MC Savinon, lá no Canal KondZilla. Com um videoclipe bem colorido e animado, as gravações rolaram no interior de São Paulo, e agora o Portal KondZilla traz algumas fotos que retratam bem como foram as gravações e todo clima. Saca só.

mirellaesavinon10

mirellaesavinon1

Já contamos um pouco sobre a MC Mirella aqui, com 20 anos e já é dona de sucessos como “Cansei, Vacilão” e “Ela Não É Santa“. Além de um videoclipe muito animado com sua melhor amiga, MC Bella, em “Te Amo Piranha“. Já a MC Savinon tá no corre do funk há uns 5 anos e já lançou alguns clipes com a KondZilla, entre eles têm “Bumbum Batendo” (8mi de visualizações) e “Novela das 9” (1mi de visualizações), junto com a MC Jhess, além de “Patrão e Gerente“, que atingiu 3 milhões de visualizações de visualizações.

mirellaesavinon6

mirellaesavinon7

O videoclipe conta com a direção de Gabriel Zerra e uma “interpretação” pra lá de engraçada das duas cantoras. Com certeza esse trampo vai fazer muita mulher se identificar!

Agora dá uma olhadinha em mais fotos do videoclipe:

mirellaesavinon9

mirellaesavinon8

mirellaesavinon5

mirellaesavinon4

mirellaesavinon3

mirellaesavinon2

Acompanhe as artistas nas redes sociais:

MC Savinon: Facebook // Instagram
MC Mirella: Facebook // Instagram

Não esqueça de acompanhar o Portal KondZilla no Instagram: @portalkondzilla

Categories
Funk Consciente Histórias que inspiram Funk

MC Rita: a cantora mirim se tornou uma realidade

Há menos de um ano, fomos até a quebrada Jardim Santa Maria, em Santos, para conhecer e trocar uma ideia com a MC Rita, que poucos dias antes tinha estourado graças a um vídeo caseiro. Nesses poucos dias entre o vídeo e a nossa visita, a vida da cantora já tinha mudado 100%. Podemos dizer que agora a vida dela foi transformada em 1.000.000%. O Portal KondZilla encontrou a artista durante as gravações do seu videoclipe, que conta com a participação de ninguém menos que o MC Kekel, e trocou uma ideia com ela sobre esse turbilhão de novidades. Saca só.

A MC Rita mudou bastante de um ano para cá, diz aí?!

Desde o dia 17 de julho, quando foi gravada a live da MC Rita cantando três músicas [hoje, o vídeo divulgado na página do MC Euro tem mais de 15 milhões de visualizações], sua carreira teve início e contou com uma ascensão sensacional. Para alguém que antes nunca teve muito contato com o funk, se tornar referência no ritmo foi algo totalmente inesperado. Tímida, a garota ainda tenta entender tudo o que vem acontecendo em sua vida.

“Nossa, depois da nossa última conversa mudou bastante coisa na minha vida. Ainda tô me acostumando, mas está sendo legal”, diz ela, sem parar de mexer no seu celular, uma das suas aquisições dos últimos tempos.

Muito comparada com a cantora Ludmilla nas redes sociais, Rita teve a chance de conhecê-la durante uma visita a Warner Music, em São Paulo, algo que ficou marcado na vida cantora da Baixada. “Na verdade, eu não sabia que iria encontrar ela. Pensei que era só uma reunião lá [na Warner]. Quando cheguei, ela tava lá! Foi uma puta surpresa, gostei bastante, sempre quis conhecer a Ludmilla, ainda mais porque falam bastante que eu pareço com ela”, explica a cantora, que diz curtir as comparações, mas faz questão de ressaltar que a MC Rita não é uma Ludmilla 2.0. “Cada pessoa é única, eu sou a Rita, ela é a Ludmilla. Somos pessoas diferentes”.

Num cenário com as mulheres buscando um lugar ao sol, artistas com a MC Rita são inspirações para milhares de sonhadoras Brasil a fora. Ainda aprendendo sobre a vida dos palcos e assédio dos fãs, Rita já tem shows marcados para fora do estado de São Paulo e mira parceria com outros artistas. Fã declarada do MC Davi, ela já tem alguns trampos em parceria pronto para ir pra pistas. Desde agosto, quando trocamos aquela idéia com a MC, ela lançou “Não Era Amor“, com produção do DJ Jorgin, e “Clã do Bumbum“, que conta com a participação da MC Bella.

“Quero muito conhecer o MC Davi, gosto demais do trabalho dele. Já tive oportunidade de conhecer vários outros MCs e tal, já até gravei com alguns. O próximo trabalho que deve estar na pista é com o MC Pedrinho. Além deste com o Kekel, que tive o prazer de conhecer, gravar junto e fazer meu primeiro videoclipe com a KondZilla”.

Por falar em MC Kekel, a parceria dos dois rende quase um livro. O projeto com os dois foi intermediada pelo atual empresário da cantora, o Bio G3, relíquia do funk de São Paulo. E, se tratando da MC Rita, óbvio que tudo começou com um vídeo feito na internet.

“Certa vez, a Rita fez um vídeo cantando uma música do Kekel que ainda não estava pronta”, explica Bio. “Ele viu esse vídeo e chegou até mim, dizendo que queria muito ela nesse trabalho. Pra nós também é uma honra, pois o Kekel sempre foi um artista que ela quis fazer uma parceria e que entendemos ser um nome muito importante no cenário da música brasileira”.

Com mais um trabalho que tem tudo para dar certo, a cantora já pensa em voos maiores. Se em menos de um ano ela já conseguiu trocar de casa, subir no palco com grandes artistas e realizar outros tantos sonhos, o que mais podemos esperar?!

Acompanhe os artistas pelas redes sociais:
MC Rita: Facebook // Instagram
MC Kekel: Facebook // Instagram

Leia também:
Já ouviu falar na MC Rita? A cantora mirim deu o papo
MC Kekel, um cara romântico e de família
Os sucessos do funk cantados por elas

Categories
Funk

Kevinho e Dani Russo estão de malas prontas para Europa

Cê Acredita?! O cantor Kevinho viajará à Europa para uma turnê entre os dias 28 de março e 01 de abril, passando por um total de três países: Portugal (Lisboa e Avieiro), Holanda (Amesterdã) e Inglaterra (Londres). O artista que acumula mais de 2 bilhões de visualizações no YouTube, contará com a companhia da parceira Dani Russo durante a turnê. O Portal KondZilla vai te dar mais detalhes agora, se liga.

2018 tá começando tão bem – ou até melhor – que 2017. No ano passado, o cantor se firmou como um dos maiores nomes da música brasileira, acumulando cerca de um bilhão de visualizações no YouTube, além de sempre figurar no topo de diversas listas e playlists das principais plataformas de streaming da internet. Já neste ano, teve: participação no Domingão no Faustão, mais um sucesso com mais de 100 milhões de visualizações (Ta Tum Tum, com a participação da dupla Simone e Simaria) e até convite para Festa de Peão, em Barretos, um dos eventos mais tradicionais no país.

Agora, a novidade do momento é a turnê pela Europa. Kevinho passará pelo Coliseu dos Recreios, em Lisboa, no dia 28 de março. Depois viaja para Aveiro, ainda em Portugal, onde se apresenta na Feira de Março. Na sequência, o rapaz dos hits vai à Amsterdã, na Holanda, onde se apresentará na casa Dido Eventos, no dia 31 de março. Para fechar a turnê, o cantor passará por Londres, na Inglaterra, onde se apresentará na Eletric Brixton, no dia 1 de abril. Durante a turnê, o artista terá a companhia da parceira Dani Russo, que também fará os shows pela Europa.

Kevinho não é o primeiro artista a ir à Europa, porém essa viagem é mais uma de um artista nacional da cultura do baile funk. A cada dia que passa, o movimento vai se firmando como global e leva a bandeira do Brasil para diversos cantos desse mundão. E isso é só o começo, viu?!

Confira as datas:
28 de março: Coliseu dos Recreios – Lisboa (Portugal)
30 de março: Feira de Março – Aveiro (Portugal)
31 de março: Dido Eventos – Amsterdã (Holanda)
1 de abril: Eletric Brixton – Londres (Inglaterra)

Acompanhe o Kevinho e a Dani Russo nas redes sociais:
Kevinho: Facebook // Instagram
Dani Russo: Facebook // Instagram

Siga o Portal KondZilla no Instagram: @portalkondzilla

Categories
Funk

É o pique, hein! MC Jerry Smith lança “Menina Braba”

*Todas as fotos por: Felipe Max // Portal KondZilla

“Tu quer aquecimento pra rebolar esse bumbum, né?!”. Jerry Smith lança mais uma pra todo mundo rebolar a raba no baile. “Menina Braba” é o nome da nova música do artista, com lançamento do videoclipe marcado para esta sexta-feira, 23 de março, às 18h, no Canal KondZilla. O Portal KondZilla assistiu o trampo em primeira mão e podemos garantir: ficou 10/10! Separamos alguns detalhes e fotos das gravações. Saca só:

making-of-jerry-9

Rodrigo Silva dos Santos (ou só Jerry Smith, para os íntimos) é de Salvador, na Bahia. O cantor é conhecido no Canal KondZilla, e como você já deve saber, ele é dono do sucesso “Bumbum Granada“, enquanto ainda era dupla com o MC Zaac, que atingiu 333 milhões de visualizações e chegou a primeiro lugar nas paradas do Paraguai, Portugal e República Dominicana – assim como do Brasil, claro. Além dessa, o artista tem outros hits como: “Troféu do Ano” (139 mi) e “Pode Se Soltar” (177 mi) “Na Onda do Beat” (65 mi).

maikingofjerry

“Menina Braba” tem aquele pontinho que todo mundo gosta e aquele grave bem forte que dá ritmo à dança, receita básica de uma música precisa pra ser dançante. Isso tudo, claro, com a voz inconfundível do Jerry. PRONTO! Por falar nisso, já trocamos uma ideia com o cantor e ele falou um pouco sobre uma das suas marcas registradas.

“Hoje, existem diversos MCs que se destacam pela voz, não é só eu. E creio que todos precisamos ter um diferencial, que seja a voz, ou um bordão, algo que seja único”, disse o cantor, em entrevista anterior ao Portal KondZilla.

making-of-jerry-1

As gravações rolaram no Jardim Brasil, Zona Norte de São Paulo, o videoclipe contou com a direção do Thiago Fernandes, o Tico, responsável também por dirigir hits como: “Transariano“, do MC WM, “Cara Bacana” do MC G15, e mais recentemente “Pare o Mundo, do MC Guimê. Aliás, conversamos com o Tico pra saber mais dessa parceria entre o diretor e Jerry Smith, e ele nos contou que é grande amigo do MC.

“Eu já tinha trabalhado com o Jerry, fiz há pouco tempo ‘Agora Cê Quer‘, que também teve a participação do grupo Pixote e também ‘Pode Se Soltar”, diz Tico. “Trabalhar com ele é super tranquilo, a gente é amigo mesmo, ele é um cara que veste a camisa mesmo pra fazer o clipe, ele dá várias ideias e entende o que a gente fala, ele é meu parceiro”.

Então já sabe, né?! Esse é mais um trabalho que tem todos os ingredientes para dar mais que certo.

Confira mais fotos desse trabalho na galeria abaixo:

Acompanhe o trabalho do Jerry Smith pelas redes sociais: Facebook // Instagram

Um ano de Portal KondZilla!

Hoje, dia 22 de março de 2018, o Portal KondZilla completa um ano de vida (aplausos). Especializado em cultura periférica, o site cresceu imensamente desde a sua criação – são mais de 2.500.000 milhões de visitas, sendo que a entrevista com o MC Lan teve mais de 170 mil visitas. Para comemorar essa data tão importante (principalmente pra Equipe Portal) e demonstrar um pouco dessa diversidade, separamos as principais, mostrando assim que novidades não faltarão neste ano por aqui. Se liga:

gif_1semestre

# 1º Trimestre de 2017 – Jan – Mar
O primeiro texto do Portal KondZilla já foi de arrebentar a boca do balão: o recorde do MC Kevinho, que atingiu 10 milhões de visualizações em apenas dia com o lançamento de “O Grave Bater”. Além disso, também batemos um papo com o MC Davi, que também é compositor dos bons, contamos a história do Ielzo Soriano, o “rei da sarrada em câmera lenta”, e encostamos na Zona Leste de São Paulo para vermos a evolução dos cortes chavosos.

gif_2semestre

#2º Trimestre 2017 – Abr – Jun
Ainda engatinhando, o Portal KondZilla já começava a mostrar o porque é o maior portal de notícias para o jovem de periferia. No segundo trimestre de 2017 contamos a história da família “X-Metal”, da Oakley – a qual faz parte o modelo mais famosos nas quebradas do Brasil, o Juliet. Falamos também da relação entre o público funkeiro com o whisky. Você já ouviu falar no funk em 150BPM e no arrocha-funk? Esses dois assuntos foram abordados com profundidade para apresentar a nova geração do funk carioca e as novas direções do movimento. Pra fecharmos a primavera do ano passado, contamos a história do MC Lan, um dos funkeiros mais populares do ano (nota: esse foi o texto mais lido da história do Portal KondZilla com mais de 170 mil visitas!!).

gif_3semestre

#3º Trimestre – Jul – Set
Mais maduro, o Portal KondZilla ficava mais encorpado e para aquecer os corpos no inverno, apresentamos as danças que marcaram o todo movimento funk (desde os passinhos dos bailes dos anos 80 até o mais recente, passinho dos malokas). Por falar em passinho dos malokas, apresentamos essa novidade com o grupo NGKS. Fazendo o papel de registrar as novas figuras no mundo da música, descemos até a Baixada Santista para conhecer a MC Rita e trocamos uma ideia com os caras consagrados, como o MC Dede, orgulho da Cidade Tiradentes. Além das novidades na KondZilla Records, com artistas da casa indo pro Rock in Rio, um dos maiores eventos de música do Planeta Terra.

gif_4semestre

#4º Trimestre – Out – Dez
Encerramos 2017 com uma voadora no lustre. Se os outros braços da KondZilla, como canal no YouTube, estouravam a boca do balão e mostravam seu poder além de terras brasileiras, o Portal KondZilla tratava de mapear todo o cenário daqui, como a novidade da figura do “MC-produtor”. Mostramos o quanto a mulher está presente nesse cenário dos videoclipes, tanto assistindo, como fazendo parte deles e que a geração milênio de quebrada está trilhando sua própria caminhada. Também registramos o encontro de duas lendas da música, Mano Brown e MC Dede, além de mostrar o naipe dos cortes de cabelo na Zona Sul paulistana.

gif_5semestre

#1º Trimestre 2018 – Jan – Mar
Pisando fundo no acelerador desde o primeiro dia, começamos 2018 dando uma notícia que rendeu frutos: a escola de jornalismo da agência Énois abriu inscrições para o curso de 2018. Após o período de inscrição, recebemos a notícia de que um dos selecionados ficou sabendo do curso através do Portal KondZilla! Detalhamos pra galera o que é cypher, que chamou a atenção de muita gente na internet no ano passado. Rolou também uma entrevista top com o MC Don Juan, autor dos hits “Amar, Amei”, “Oh Novinha”, “Me Amarro na Noite” entre outros. Fechando o primeiro trimestre, em março tivemos uma daquelas novidades de deixar muita gente de boca aberta: a KondZilla fechou uma parceria com a Netflix! Em 2019 teremos o lançamento de “Sintonia”, uma série idealizada pelo próprio KondZilla.

Até agora, tivemos exatos 222 textos publicados. No total, já participaram do portal 16 colaboradores, entre texto e fotos. Em um ano ar, tivemos mais de 2.500.000 visitas de diferentes públicos do mundo todo, como: Portugal, EUA, Paraguai e Argentina.

Aproveite para seguir  o Portal KondZilla no Instagram: @portalkondzilla

Segunda edição do WME da luz ao papel da mulher no mercado musical

*Todas as fotos por: Vanessa Coscia // Portal KondZilla

Como te contamos aqui, o Women’s Music Event (WME) aconteceu no último final de semana, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), e as expectativas do evento foram mais que atendidas! Começando pela organização, comunicação (tudo estava bem sinalizado), a disposição dos espaços de patrocinadores e com muitas mulheres trabalhando (pra não dizer só mulheres, acho que contamos uns 9 homens). Tive o prazer de ir cobrir esse evento e vou passar a visão de como foi, se liga na matéria do Portal KondZilla.

fotos_wme_1Entrada do Centro Cultural São Paulo

fotos_wme_2Stand de ingressos do WME

Na sexta, dia 16/03, aconteceu o primeiro dos três dias do evento. O primeiro painel começou às 12h30 conforme anunciado, com o tema “Publicidade e o limite entre marcas e influenciadores”, com a presença de Raquel Virgínia e Assucena Assucena, da banda “As Bahias e a Cozinha Mineira“, Bia Granja, da YouPix, e a cantora Mariana Aydar, com mediação de Fátima Pissara, da VEVO Brasil. A mesa discutiu o fato de como o mundo da publicidade tenta se juntar cada vez mais à pessoas influentes (o famoso ‘digital influencer‘), e as convidadas comentaram suas vivências e oportunidades de trabalho que surgiram.

Um dos painéis que mais me chamou atenção foi do “Rap: Como um movimento que nasceu no gueto se consolidou como uma das maiores forças da música pop”, com mediação da jornalista Lulie Macedo e as convidadas Karol Conka (cantora), Eliane Dias (CEO Boogie Naipe), Daniela Rodrigues (CEO Foco na Missão) e Nicole Balestro (CEO C E I A Ent.). Por isso, todas as convidadas contaram dificuldades e histórias de como foi empresariar e comandar grupos e eventos tão grandes, na pele de uma mulher – sabendo que o rap é majoritariamente masculino. Além disso, contaram sobre o lifestyle do hip-hop e como esse estilo, nascido nas periferias, se transformou em um dos temas mais requisitados nas grandes corporações atuais.

fotos_wme_9Foto final do painel sobre rap

Aproveitamos o assunto para falar um pouco com a Daniela Rodrigues, sócia da produtora Foco na Missão, além de empresária e esposa do rapper Rashid. Rodrigues comentou sobre a importância de um evento como o WME. “Esse tipo de evento é importante porque tem muita mulher trabalhando, seja na organização quanto fazendo música, mas acontece que sempre ficam escondidas”. O rapper Rappin Hood e  Rashid estavam lá e frisaram o ponto. “A parada que a Dani falou, é louco a quantidade de mina que tem trabalhando nas nossas carreiras. A minha carreira, a carreira do Rashid é toda embasada no trabalho de uma mulher, metade do Rashid é a Daniela. Sem ela as coisas não aconteceriam, quem tá por trás do rapper, também faz parte do movimento rap”. O Rappin Hood concluiu a ideia do parceiro. “Não é possível pensar no rap atualmente sem a mulherada, precisamos delas atuando em todos os lugares”.

fotos_wme_10Rappin Hood, Daniela Rodrigues e Rashid

Nicole Balestro é uma das donas da C E I A Ent, um dos grandes selos da cena do rap atual. Perguntamos à ela a importância de eventos como o WME. “Esse evento é, na verdade, uma abertura de portas para todos os nichos. E estar fora dos painéis e contiuarmos debatendo os assuntos é muito importante. Infelizmente, temos que lembrar o tempo todo o espaço da mulher, principalmente mulheres de periferia e negras, o espaço que nós ocupamos no mundo da música [e também fora dele]”.

fotos_wme_5Nicole Balestro comentando no painel em que era convidada

Outro painel muito importante da sexta foi o “Q&A” [questions and answers – perguntas e respostas, na tradução literal] sobre a vida e a obra da madrinha do WME 2018, Pitty, com mediação de Claudia Assef, jornalista e organizadora do WME. A cantora baiana contou sobre os obstáculos de ser uma uma mulher no mundo do rock e ainda por cima da Bahia, um lugar tomado pelo axé. A cantora falou sobre o trio elétrico “Respeita as Minas”, que participou no carnaval, percorreu o circuito Campo Grande (um dos circuitos mais tradicionais do carnaval baiano), e nos mostrou, em primeira mão, o teaser de seu novo documentário “Do Ventre a Luta“, que estreou essa semana e fala sobre a volta dela para os palcos depois da gravidez e como foi o processo todo de se reencontrar no palco.

Além desses painéis, no dia 16 o evento contou com um debate sobre a magia e o sofrimento por trás do nascimento de um álbum e 4 workshops: beatmaking, discotecagem, gestão de carreira e segurança digital para mulheres.

fotos_wme_3Pitty, madrinha do WME do ano, em seu painel

Já no sábado, dia 17, o dia foi mais tranquilo com menos painéis e workshops. O primeiro workshop do dia era sobre o tema: “Aprenda a Cantar Encontrando a Sua Própria Voz”, seguido dos workshops “UBC Apresenta: Como potencializar os ganhos com sua música”, “Stage Management” e “Editais e Leis de Incentivo, por onde eu começo?”.

fotos_wme_7Equipe da KondZilla cobrindo o painel da UBC

Enquanto isso, os painéis começaram com um tema muito importante no mundo da música: “Direito Autoral: Como determinar a autoria de uma música? Compositores, letristas, quem deve receber pelos direitos de uma canção?”, em que as convidadas Kamilla Fialho (empresária), Angela Johansen (UBC), Lisiane Pratti (advogada) e Tiê (Rosa Flamingo), com mediação de Guta Braga (consultora e publisher do blog Música, Copyright e Tecnologia). A mesa debateu a importância de se registrar uma música e como isso deve ser feito, como acordar com os artistas as porcentagens e explicaram que o ideal, em caso de músicas com parcerias, é combinar com os artistas antes mesmo de se produzir a música. Além disso, explicaram o que realmente é o direito autoral e a importância para um artista de proteger sua produção ou composição.

fotos_wme_4Painel produzido pela artista plástica Mari Mats

O painel de audiovisual contou com o debate sobre VJing, clipe e iluminação como ferramenta fundamental para divulgação da música. As convidadas Elka Andrello (VJ), Vera Egito (produtora Paranoid), Joana Mazzucchelli (Polar Filmes) e Barbara Ohana (cantora e produtora) debateram como é o papel da mulher nos sets de gravação e nas filmagens, contaram experiências pessoais de se gravar em um ambiente de maioria masculina, como no set de gravação, por conta dos engenheiros, técnicos de luz, eletricistas e etc.

Concluindo o segundo dia do evento, tivemos uma mesa que contou com a participação das stylists Anna Boogie e Manu Carvalho e a diretora executiva Mariana Bergel, da Boia Fria Produções, com mediação da Sarah Oliveira (apresentadora). Na conversa, elas falaram sobre como a identidade visual e posicionamento em redes sociais dos artista de hoje ajudam a impulsionar a carreira. Mariana Bergel é manager do Rincon Sapiência, rapper paulista inserido na moda do hip-hop, e conta que o estilo do artista constrói toda a identidade com o público com o qual ele se relaciona e canta. Por isso a importância da estética nos palcos e nas redes.

fotos_wme_8Monique Dardenne e Claudia Assef, organizadoras do evento

Além dos painéis, workshops e shows que aconteceram no CCSP, era possível comprar um passaporte que te dava direito aos dois dias de evento com a programação. A conclusão da segunda edição do WME ficou por conta de diversas festas em lugares diferentes: no dia 16, a festa rolou no Jazz Nos Fundos, com a DJ Nina Becker e Luedji Luna; dia 17 foi no Club Jerome, com Paula Chalup, Ana Helder e Marina Dias. Já o 18 foi somente de festa, para finalizar daora o evento maravilhoso, Karol Conká, Mariana Mello, Bloco Pagu, Lurdez da Luz, Drik Barbosa, Clara Lima e a DJ Mayra Maldjian se apresentaram no House of All (ou House Of Bubbles), num show totalmente de graça e irado.

Para finalizar a nossa presença no WME, conversamos com as organizadoras Claudia Assef e Monique Dardenne sobre o evento e o que esperar dos próximos anos. “A gente está plantando uma semente bem grande aqui nesse segundo ano [de edição do evento], então só de ver o envolvimento, não só das artistas, mas do mercado, do público super interessado, descendo pra ver um painel, os workshops, fazendo pergunta nas palestras […] essa é a mensagem que a gente quer passar, as mulheres sendo ouvidas e valorizadas. Ano que vem, tomara que mais pessoas sejam atingidas e que a mulher seja mais respeitada e ouvida, por causa desse tipo de ação”.

Categories
Dança

Equipe Royal Family dança “Abusadamente”

Era mais um dia em que estava fuçando num grupo do Facebook (alô, LDRV) quando me deparei com um vídeo de dança do grupo “Royal Family” e acreditem, eles estavam dançando um funk brasileiro, no caso, “Abusadamente” do MC Gustta e MC DG!!! A maioria dos comentários dizia que “o funk vai dominar o mundo” e parece que vai mesmo. Se você não manja do que eu tô falando, continua no Portal KondZilla que esse texto vai te explicar:

Royal Family é um dos principais grupos de dança de hip hop, tri campeão do “World Hip Hop Dance Championship“. Eles são um dos 6 grupos de dança da companhia The Palace Dance Studio e já fizeram a coreografia de videoclipes de artistas como: Justin Bieber e Jason Derulo, assim como no filme Born To Dance. Conhecidos pelos campeonatos de dança que participam, o grupo costuma criar um mix com várias músicas de estilos diferentes para suas apresentações onde se dividem em grupos menores dentro do palco para fazer toda a coreografia. O vídeo acima foi publicado no dia 18 de março, que o evento de dança “Hit The Floor” soltou o vídeo da apresentação, o que ninguém esperava era ouvir o funk brasileiro neste campeonato.

“Abusadamente” foi lançada em Agosto de 2017 e já atingiu 163 milhões de visualizações, o hit brasileiro foi executado ao lado de grandes nomes da música mundial, tipo Rihanna, Cardi B, Diplo e Beyoncé. Essa não é a primeira vez que nossa música cai no gosto dos estrangeiros, ano passado, os filhos da Madonna cantarolavam “Olha a Explosão”. O funk vem tomando espaço no mundo todo, não é à toa que a KondZilla é o 3º maior canal de música do mundo.

Categories
Funk

Mano Brown tira onda como motorista em São Paulo

Imagina só você tá na sua quebrada, pede um Uber e quando ele chega o motorista é nada mais, nada menos do que Pedro Paulo Soares Pereira, o Mano Brown. Foi bem isso que aconteceu como parte de uma campanha promocional da Uber, onde o rapper foi motorista do aplicativo por algumas horas. O vídeo das corridas viralizou na web e já atingiu mais de 200 mil visualizações no canal oficial dos Racionais MCs. Agora, o Portal KondZilla te conta detalhes dessa história.

No piloto de um Chevrolet Caprice 1974, Brown rodou as ruas de São Paulo e transportou quatro passageiros. Entre eles, além de pessoas comuns, o rapper também fez uma corrida e trocou ideia com Dee e DJ Sid (integrantes do grupo 5 pra 1) e Liniker, que estarão presentes junto com Brown no Lollapalooza 2018. Falando no evento, os passageiros do “Uber do Brown” ganharam um ingresso para assistir a apresentação do Brown e Liniker. Nada mal, né?!

A campanha também contou com uma apresentação dos dois artistas na praça do Campo Limpo, Zona Sul de São Paulo. Quem não irá ao Lollapalooza, pôde acompanhar a apresentação da dupla, que também contou com uma homenagem à Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro, assassinada na última quarta-feira (14).

Um dos maiores eventos de música do mundo, o Lollapalooza acontece no Brasil entre os dias 23, 24 e 25 de março, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo e você pode conferir a programação completa do festival nesta matéria. Uma promoção com essas deu um gostinho de que o evento promete muito esse ano!

Categories
Musica Funk

É rap ou é funk? É WC no Beat com o álbum 18K

Produtor de Vitria-ES, WC no Beat lana lbum misturando os maiores nomes do rap nacional junto dos maiores nomes do movimento funk. As batidas, intercalam o ritmo danante que surgiu nas favelas cariocas com a levada americana do trap. Mais do que isso, o produtor apresenta um movimento que cresce s escondidas e que mostra: rap e funk esto mais prximos do que se imagina. Quer saber mais dessa fita? Acompanhe agora no Portal KondZilla.

Com 22 anos, WC no Beat j est nouniverso da msica h algum tempo. Originalmente focado no rap, o produtortrabalhou uma galera do funk como MC TH, MC Hariel e MC Cabelinho. Agora, em 2018, lana o lbum 18k, com 10 msicas e mais de 20 MCs convidados. Cada faixa acompanha um dueto de um cantor de rap e tambm um de funk (as vezes at mais que 2 cantores).

O destaque desse trabalho vai pra fluidez que as letras e batidas possuem. Por muito tempo, a galera do rap fez cara feia pro funk. Mesmo em So Paulo, onde muitos MCs de funk se lanaram com algumas letras no rap, principalmente a galera da Baixada Santista, demorou para rolar uma aceitao de estilos. S que olhando pra trs, l no comeo do movimento carioca, percebemos que as batidas do Miami Bass e hip-hop foram o que originaram o rap americano, a diviso de gneros aconteceu quando as batidas aterrissaram em solo brasileiro.

S agora, no sculo XXI, com a internet rompendo as barreiras de grupos musicais, a influncia de batidas, rimas, melodias e experimentaes seencontram a cada dia que passa e os sons esto cada vez mais prximos. No soa mais estranho ouvir uma msica de um artista originalmente de um movimento que trabalhou em conjunto com outro artista de outro movimento. So inmeros os exemplos: Kevinho com Simone e Simaria, Fioti com cantores internacionais, Mano DJ e o produtor americano Baauer. Agora, Wesley Costa (nome do WC no Beat) uniu diversos talentos no mesmo trabalho

Quem, h 10 anos atrs, diria que a cantora MC Pocahontas faria uma msica com o rapper Rincon Sapincia? Ou o MC Lan com Cacife Clandestino? Quem j tinha arriscado essa mistura de ritmos foi o produtor carioca Yago Gomes, acumulando trabalhos com artistas como o rapper Filipe Ret e o MC TH.

Enquanto essemistura de ritmossempre foialgo comum para produtores do movimento eletrnico alternativo (popularmente conhecido como underground), essa tendncia est chegando ao circuito comercial. De forma natural e pela mos de produtores brasileiros, o que autentica cada vez mais a msica brasileira e os artistas daqui. No foi necessrio um produtor estrangeiro aqui e nos presentear com essa ideia, WC no Beat tomou de assalto e fez isso com maestria.

Acompanhe o produtor pelas redes: Spotify // Facebook // Instagram

 

Leia Tambm:

No Esprito Santo, o beat fino e o funk forte
Entenda a evoluo do funk de Minas Gerais

Categories
Funk

MC Hollywood lança a nova: “Som do Cavaco”

*Todas as fotos por: Léo Caldas // Portal KondZilla

Samba e funk tem muito mais em comum do que você imagina. São ritmos criados na periferia e que envolvem muito swing. Mesclando tudo isso, o MC Hollywood vem com música nova, “Som do Cavaco”, que lança hoje, 16 de março, às 18:00 no Canal KondZilla. A música traz o batidão do funk com referências ao principal instrumento do samba. O Portal KondZilla trocou uma ideia com o MC sobre o novo trabalho e separou algumas fotos do making of pra você. Saca só.

A música conta com a produção do DJ Douglinhas, um dos principais produtores da KondZilla Records. Hollywood conta que a parceria dos dois existe há uma era e as ideias fluem fácil na hora de trabalhar juntos.

“A ideia saiu de um projeto que o Douglinhas tava fazendo no Estúdio KondZilla”, explica o MC. “Ele me mostrou a ideia, que estava sem uma voz e a letra acabou saindo na hora. Fazer música com ele é a melhor coisa, porque a gente se entende. Tem dia que sai até três, quatro músicas”.

holly1MC Hollywood e o diretor Thiago Fernandes, o Tico

No videoclipe de “Som do Cavaco”, o diretor Thiago Fernandes, o Tico, montou um roteiro que vai chamar a atenção de muita gente. O MC Hollywood super aprovou o resultado final. “Deu tudo certo nas gravações, graças à Deus. Corremos atrás de tudo para ficar algo daora. O público vai gostar bastante, meus fãs ficarão orgulhosos”, disse.

holly2

Podemos dizer que 2017 foi um ano sensacional pro Hollywood, principalmente por conta dos trabalhos em conjunto com o parceiro Douglinhas. Um dos seus principais sucessos, “Rapidamente” contou com a mãozinha do produtor. A música virou febre nos fluxos pelo Brasil e já bateu a marca de 18 milhões de visualizações no Canal KondZilla.

E se 2017 foi bom, 2018 promete ser ainda melhor. Se você já foi num baile onde o MC cantou este ano, já deve ter percebido que seu set list conta com algumas novidades. Além disso, o cantor está com mais trabalhos na bala para serem lançados logo, logo. Com direito a videoclipes e participações especiais de estrelas do mundo do funk, como o MC Magrinho.

“2018 começou a milhão, com bastante trabalho e música nova. Tem duas músicas que virão com clipe também. Tem uma música com o MC Magrinho que já estou até cantando nos bailes, e logo mais vai ter videoclipe com a participação dele”. Ou seja, pode se preparar, porque o MC Hollywood promete ter um ano digno de estrela de cinema como anuncia seu nome.

Veja mais fotos do making of: