Categories
Notícias

Anitta completa 26 anos e anuncia novo álbum

Neste dia 30 de março, a cantora Anitta completa 26 anos. Nascida como Larissa Macedo Machado, a cantora se inspirou na série “Presença de Anita” para assumir seu lado artístico. Junto do aniversário, ela anunciou um álbum com 10 faixas e 10 videoclipes, misturando as três línguas: português, inglês e espanhol para o dia 5 de abril, sexta-feira. Para celebrar este aniversário, o Portal KondZilla separou algumas informações da cantora. Confira:

Na próxima sexta, a cantora vai lançar seu 4º álbum gravado em estúdio, “Kisses”, com 10 faixas inéditas. Em 2019 ela já lançou “Terremoto” com participação do Kevinho e também “Bola Rebola” com o Tropkillaz, J Balbin e MC Zaac.

A cantora é conhecida por seus lançamentos e o marketing produzidos em cima deles. Em 2017, lançou o EP “CheckMate”, com 4 músicas e 4 videoclipes, misturando estilos e artistas para mostrar sua facilidade em se adaptar a diversos ritmos. O lançamento quebrou diversos recordes, como manter 2 músicas no top 50 mundo do Spotify (“Vai Malandra” e “Downtown”).

O projeto foi a primeira investida de Anitta em sua carreira internacional. A história toda por trás do EP é contada em “Vai Anitta”, série original da Netflix sobre os primeiros passos da cantora nessa nova fase de sua vida.

A carreira de Anitta começou em 2010 quando foi descoberta por um produtor da Furacão 2000. Entre os lançamentos que fez durante 2 anos, “Meiga e Abusada” se destacou, abrindo os caminhos para a gravadora Warner Music em 2013. Já na Warner, lançou “Show das Poderosas” no álbum homônimo Anitta, que foi um sucesso no Brasil e pode mostrar todo o talento da Anitta.

Em 2014, ela lançou seu 2º álbum de estúdio e um DVD – os dois lançamentos aconteceram no mesmo dia. Ainda neste ano, a cantora começou a projetar sua carreira além da música, fazendo participações na TV e também em filmes. Mas foi em 2015 que a chave do sucesso virou com o lançamento “Bang”. A revista Billboard destacou a cantora como artista revelação do ano e em outubro EMA Worldwide Act Latin America, sendo a primeira artista brasileira a ganhar o prêmio.

Outro grande passo da carreira da cantora de Honório Gurgel foi virar uma das juradas do programa “La Voz”, que é tipo o “The Voice”, só que do México.

Desde que virou sensação nacional, Anitta sempre se dedica a atender seus fãs menores de idade, sempre fazendo shows mais amigáveis para atender as crianças, como a turnê “Show das Poderosinhas” e três anos atrás ainda criou o desenho animado “O Clube da Anittinha”, que mostra a mini-Anitta se aventurando com seus amigos e ensina sobre cidadania para as criancinhas.

O que nos perguntamos agora é: se com 26 anos ela já escreveu seu nome na história da música mundial, o que será que ela fará até os 30? O mais importante é perceber como a música brasileira tem força no cenário internacional.

Categories
Comportamento Histórias que inspiram

Fotógrafo brasileiro de 22 anos é selecionado para expor em Chicago

Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, o fotógrafo João Victor Medeiros foca seus trampos em retratar a cultura de sua cidade sempre destacando as minorias, como os negros, LGBTS, pessoas da periferia e por aí vai. Nessas, João, que tem apenas 22 anos, foi chamado para expor o seu projeto “Feira Livre” na The Other Art Fair, uma feira de arte que reúne artistas emergentes de vários lugares do mundo, e que desta vez, acontece em Chicago. Para conseguir ir mostrar o seu trabalho, o mineiro criou uma vaquinha online pra ajudar a bancar seus custos. O Portal KondZilla bateu um papo com João Victor sobre seu trampo.

Como vários outros jovens de 22 anos, o mineiro assistia muito a MTV e o canal teve um papel doido na vida dele. “Lembro que eu via muito a MTV e lembro de uma vez no VMB lá de 2011 que o Emicida ganhou um prêmio com o videoclipe de “Rua Augusta” e eu fiquei muito encantado com o jeito de expressar uma ideia, porque o tema da música era prostituição e o vídeo narra muito bem isso. Fiquei pirado e comecei a ir atrás de outras coisas”, relembra ele.

Uma das fotos do João Victor Medeiros

Nessas, o coletivo Encontro de MC’s encostou lá na escola em que o fotógrafo estudava pra fazer uma intervenção e uma batalha de freestyle. “Não sabia que tinha rap em Juiz de Fora, aí comecei a me envolver com eles. Fui organizador durante uns três anos e lá que cheguei na fotografia. Um dos outros organizadores tirava umas foto e um dia pedi a câmera emprestada, fui tirando foto e me apaixonei pela sensação de contar uma história de forma visual”.


João Victor foi se desenvolvendo assim, na prática, aprendendo algumas dicas com a galera do rolê e nessas também conheceu o trampo do fotógrafo carioca JR Ripper, dono da frase: “Quero que as pessoas queiram bem aos meus fotografados”, e soube que era essa a pegada que ele queria pra si. “Nunca fiz curso e sou contra porque curso sempre tem um viés muito técnico e a fotografia não é só isso, ela é um olhar, um resultado da sua vivência”. Ele também comenta que em seu primeiro ano como fotógrafo, ele foi usando câmeras emprestadas e só depois conseguiu comprar uma semi-profissional, que ele usa até hoje. “O equipamento jamais pode ser uma limitação criativa. Inclusive, tem diversos movimentos da fotografia que estimulam isso de poder fotografar com qualquer coisa”.

“A fotografia ainda é muito elitizada, assim como o cinema porque os dois já nascem assim por causa dos custos dos equipamentos. Nossa luta agora é tentar tirar isso da elite e mostrar que a periferia pode fotografar, fazer cinema e contar sua história sem depender de um equipamento caros, porque pro trabalho sair bom depende da linguagem, não do equipamento”, comenta ele.

Seu projeto selecionado para ser exibido na feira foi criado por ele em 2017 e a ideia surgiu como uma forma de mostrar como as feiras são espaços importantes de resistência cultural e econômico dos brasileiros. Ainda segundo ele, esta é a segunda vez que a TOAF o convida para participar. A primeira foi em 2018, mas ele não conseguiu juntar dinheiro o suficiente para ir. Então se liga, se o cara foi chamado duas vezes pra participar é porque ele realmente é bom, sendo assim não custa nada dar uma ajudada pra ele realizar este sonho, né? Entra no site e saiba como ajudar.

Acompanhe o trabalho do João pela web: Instagram // Site

Categories
Notícias

Com sala cheia, Kond narra sua trajetória na Google

*todas as fotos por: Leo Caldas // Portal KondZilla

Na última quinta-feira, 28, o auditório da Google ficou apertado ao colocar todos os googlers para ouvir o Kond falar sobre sua trajetória e tudo sobre os novos planos da KondZilla. O canal é o 4º maior de todo o YouTube, com mais de 48 milhões de inscritos, 23 bilhões de visualizações e 1000 videoclipes e muitas histórias por trás de tudo isso. Com uma leveza e seriedade que só o Kond tem, a conversa girou sobre todos esses momentos até a projeção do lançamento do Portal KondZilla.


O Canal KondZilla completou 7 anos de existência no último dia 21 de março. Durante este período, a KondZilla se destacou como o maior canal de música no Brasil e agora no mundo, conquistando mais de 1000 videoclipes originais – produzidos e divulgados. À frente da companhia está Konrad Dantas, o Kond, que agora vem contando essa história de sucesso para empresas conhecerem mais sobre nossa trajetória. Afinal, percorremos um caminho único e poder compartilhar isso é sempre bom.

Esta não é a primeira vez que o fundador da KondZilla conta sobre a nossa história. Ele já conversou com a equipe da VIACOM e também da BETC. E além da Holding KondZilla, que administra as empresas Portal KondZilla, KondZilla Records, KondZilla Filmes e a marca KondZilla Wear, Kond também está à frente da série “Sintonia”, da Netflix, que tem como previsão de lançamento mundial no 2º semestre de 2019 e também da direção criativa da Orloff.

Tanta experiência se resume em uma palestra divertida, com muita história pra ser contada entre o jovem diretor de 23 anos que almejava a publicidade, até falar com toda a equipe da Google, a maior empresa de tecnologia da atualidade.



O momento agora é alcançar o marco dos 50 milhões de inscritos e promover nosso novo canal no YouTube: o Portal KondZilla. Focado em conteúdos de audiovisual pro jovem da periferia, o lançamento está previsto quando o canal atingir 1 milhão de inscritos. Já estamos com 750 mil e a cada dia avançamos um passo a mais. Sendo o maior canal de música no mundo, abrir um canal de conteúdo será um novo desafio.

Aproveite para seguir o Kond no Instagram.

E falando em novidade, se inscreva no Canal do Portal KondZilla!

Categories
Notícias

MC Mirella faz vaquinha e ajuda senhor necessitado

*Foto por: Reprodução // Instagram

Na última quarta-feira (27), viralizou nas redes sociais um vídeo em que um idoso sendo humilhado por uma dona de um supermercado após furtar comida pra se alimentar em Matinhos, no Paraná. O viral chegou até a MC Mirella, dona dos hits “Eu Não Perdi, Eu Me Livrei“, “Pra Sentar“, com MC Zaac e “Quer Mais?“, com MC Pocahontas. A MC paulistana visitou o senhor Vanderlei na manhã desta quinta (28) e ofereceu um ano de alimentos para ele.

Para encontrar o idoso, Mirella mobilizou seus seguidores nas redes sociais que a ajudaram a encontrá-lo. Além disso, a cantora ainda criou uma vaquinha online pra conseguir prover uma vida melhor para o Sr. Vanderlei. Até agora, a arrecadação já passa dos R$ 28 mil e está quase batendo a meta de R$ 30 mil.

Em seus stories, a MC disse que estava fazendo tudo o que podia de coração porque sabe o que é passar dificuldade e que não queria ser glorificada por suas ações. Ela cancelou sua agenda do dia e foi com a sua equipe visitar Vanderlei.

No Instagram, Mirella agradeceu aos fãs que a ajudaram e que a apoiam porque sem eles, ela não teria condições de ajudar. “É muito triste ver uma pessoa humilde e passar por essa vergonha e estar chorando assim dessa maneira. É muito triste isso pra mim porque eu imagino meu pai, ou um vô”, comentou ela.

https://www.instagram.com/p/Bvj9m9ugsHL/

Ainda pela rede social, a MC disse que continuará informando as pessoas conforme o caso fosse se desenrolando e pediu que o país fosse mais solidário. É essa a mensagem que fica: vamos ajudar o próximo.

Além de Mirella, o Kevinho e Carlinhos Maia se pronunciaram e disseram que também irão ajudar.

Acompanhe a Mirella pelas redes sociais: Facebook // Instagram

Categories
Notícias

Kevinho se apresenta no Lollapalooza Chile nesta sexta-feira

Um dos festivais mais conhecidos e esperado por todo mundo é o Lollapalooza, já falamos sobre o festival algumas vezes aqui no portal, as edições desse ano Brasil, Argentina e Chile terá grandes artistas. Os chilenos estouraram e terão na line up do festival nada mais nada menos que Kevinho, que se apresenta nesta sexta-feira, dia 29 Chega mais que o Portal KondZilla te conta tudo que vai rolar por lá.

Todo mundo que curte festivais fica aguardando com ansiedade o anúncio da line up, se tratando de grandes festivais como Lollapalooza, é certeza que terá artistas que fazem geral sair do chão e cantar com a alma, seja no Brasil, Argentina, Chile ou outro país onde o festival já passou. Quem se deu bem esse ano foram os chilenos, que terá a apresentação do menino dos hits, Kevinho, com sucessos conhecidos por todo o mundo, (até os filhos da rainha do pop, Madonna, já cantou) o jovem de 20 anos vai agitar o público com suas músicas.

Seu mais novo sucesso “Facilita” já passou a marca de 5 milhões em menos de uma semana de lançamento, então você que moscou e ainda não se programou para encostar no festival aí vai algumas informações importantes e que vai te ajudar. Ainda tem ingressos disponíveis para os 3 dias de eventos, 29, 30 e 31. Não se desespere que ainda dá pra garantir seu espaço na multidão, só acessar o site, os acessos mais fáceis para chegar até o Parque O’Higgins, onde irá rolar o festival é pela Av. Rondizzoni, Av. Tupper e Av. Matta, então faça seu roteiro para chegar da forma mais rápido e sem b.o nenhum, te recomendamos utilizar transporte público, Metrô de Santiago.

Acompanhe o Kevinho nas redes: Facebook // Instagram .

Leia também:
Kevinho assina com Warner Music
Fotos da turnê do Kevinho na Europa

Categories
Musica

Em ’40 metros’ MC PP da VS retrata como o sucesso incomoda

*Fotos por: Felipe Max // Portal KondZilla

Nesta última terça (26), o MC PP da VS voltou com tudo no lançamento “40 Metros“, que já bateu 1 milhão de visualizações e está em alta no YouTube. Este é o nono trabalho do cantor com a KondZilla, e como o MC vem sempre misturando o rap e o funk em sua caminhada, com a nova música, não foi diferente. Além deste, o MC PP da VS é responsável por outros sucessos, como “Anonimato” (27 milhões de visualizações), “Oakley Virou Viciante” (31 milhões) e “Perfume de Bandido 2” (25 milhões). Aproveitando o lançamento, o Portal KondZilla bateu um papo com o Tico Fernandes, o diretor do vídeoclipe, sobre todas as fitas que rolaram durante a gravação.

O vídeoclipe de “40 Metros” é uma obra de arte e foi gravada em plano sequência, ou seja, não teve nenhum corte. O clipe condensa bem a história da música, em que PP da VS fala sobre racismo, em que como ainda é esquisito pros outros ver um negro com um carrão e mandando bem na vida. Pra contar essa história, a nave do PP é parada e ele toma um enquadro de dois policiais.



“A ideia do clipe mudou completamente na manhã da gravação”, conta Tico, o diretor. “Na época, a cidade [de São Paulo] tava naquele chove e não chove, ai começou a chuva de noite e foi até de manhã. Fui tentando outras ideias, e baseado na letra da música, comecei a visualizar o movimento da câmera. Vamos fazer o enquadro inteiro enquanto ele canta”.

Além de chuva, Tico ainda conta que quando eles chegaram pra gravar, um vendaval fez um pedaço da telha do galpão onde o clipe foi gravado cair, e choveu bem em cima do carro. Depois disso, foi só felicidade.

MC PP ds VS e Tico durante as gravações


Não sei o que vocês pensam sobre plano sequência, mas eu sempre imaginei que fosse um puta dum trampo porque imagina: cê erra na última cena e tem que regravar tudo de novo. “Fizemos diversos testes de câmera antes do PP chegar pra saber tudo, ir vendo os movimentos da câmera, quando ia abrir as portas do carro e tudo mais. Quando o PP chegou, fizemos uns quatro testes e já era. Passamos uma hora só gravando com apenas uma Sony 7S, sem luz e sem nada”.

O bom resultado do videoclipe e da facilidade de gravar também veio da parceria do Tico com o PP da VS, que vem de vários clipes atrás, como “Anonimato” (que fala sobre a trajetória de vida dele), “Perfume de Bandido 2“, “Sem Estresse“, e “Deixa Essa Mala Aí“(que reflete um pouco sobre a paternidade, porque na época ele tinha virado pai recentemente), “Oakley Virou Viciante” (o primeiro dele com a KondZilla), e “Um Brinde Pra Nós“, com o MC Kapela. “Temos uma relação muito boa desde o primeiro trampo que fizemos junto, já virou amizade”, comenta o diretor.


Esse é apenas o primeiro trabalho do PP da VS esse ano, ou seja, ainda tem muita pedrada pra vir ao longo de 2019.

Acompanhe o MC PP da VS nas redes sociais: Facebook // Instagram

Categories
Notícias

Leia na íntegra a carta aberta da defesa do DJ Rennan da Penha

Foto por: Reprodução // Facebook

Com tudo que está acontecendo com o DJ Rennan da Penha, o Portal KondZilla entrou em contato com a defesa de Rennan. Leia abaixo o pronunciamento dos advogados dele na íntegra:

“Mais uma vez, na qualidade de advogados de defesa do DJ Rennan da Penha, viemos a público esclarecer fatos distorcidos pela imprensa nos últimos três dias acerca da situação processual de nosso cliente.

Ao contrário do que foi amplamente divulgado pela imprensa nos últimos dias, Rennan não é considerado um foragido da justiça. Apesar da condenação em segunda instância, não houve até o presente momento (27/03) a expedição do mandado de prisão em seu desfavor, muito menos a tentativa, por oficial de justiça, de cumpri-lo. Somente após eventual tentativa frustrada de cumprimento do mandado de prisão (que até o presente momento não foi expedido) é que Rennan seria tecnicamente foragido.

Reiteramos nossa discordância com a condenação proferida pela segunda instância do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, inclusive no que se refere à prisão determinada, absolutamente descabida e desnecessária ao caso, eis que Rennan é réu primário, possui atividade remunerada comprovada e residência fixa, devidamente informada à justiça.

Com felicidade recebemos o apoio da OAB/RJ, manifestando publicamente sua contrariedade à prisão de Rennan, o que mostra que estamos no caminho certo em busca da comprovação da inocência do artista.

Afirmamos novamente que elementos extraprocessuais, como o preconceito generalizado que recai sobre toda forma de cultura nascida nos morros cariocas, foram cruciais para a condenação do artista, preconceito esse fomentado pela ausência do Estado nesses locais e pela crise na segurança pública enfrentada pelo Rio de Janeiro. ”

 

Fabrício Gaspar Rodrigues
OAB/RJ 120.213

Nilsomaro de Souza Rodrigues
OAB/RJ 53.310

Gaspar e Rodrigues Advogados Associados
www.gasparerodrigues.com.br

Categories
Notícias Funk

Entenda o caso da prisão do DJ Rennan da Penha

Atualização em 07 de novembro de 2019: o STF derrubou a prisão em 2ª instância e o DJ pode ser solto. Leia mais aqui.

Na última sexta-feira (22), a Justiça do Rio mandou prender o carioca DJ Rennan da Penha, um dos maiores personagens da música brasileira atual. De acordo com a decisão do desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, o músico seria olheiro do tráfico lá do Complexo da Penha. O mandado de prisão contra o DJ parece apenas mais um passo para acabar com o Baile da Gaiola, idealizado por ele, e para criminalizar o funk.

A Justiça emitiu um mandado de prisão contra o DJ em 2016, e ele foi absolvido em primeira instância por falta de provas, mas na 2ª instância, que aconteceu semana passada, a Justiça mandou prender o DJ. Como até agora o mandado de prisão não foi expedido, ainda não há uma data certa para que Rennan se apresente à Justiça, isso não o torna foragido, já que ele e a defesa vão colaborar com a Justiça.


*Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

O primeiro motivo para mandar Rennan para a prisão seria que o DJ atua como olheiro. Segundo a polícia, o DJ avisava o pessoal da Penha quando policiais estavam subindo o morro. As provas “oficiais” disso seriam mensagens no Whatsapp. O problema é que essa é uma prática muito comum entre moradores da periferia por causa da truculência que é esse tipo de operação. O segundo motivo seria de que as músicas do DJ fazem apologia ao uso de drogas e o Baile da Penha seria uma espécie de “armadilha” pra atrair mais pessoas pra consumir as drogas do tráfico do Alemão.

Se formos levar em consideração a Lei 5.543/09, que define o funk como um movimento cultural e musical de caráter popular, acabar com o Baile da Penha iria de contra dois de seus artigos: um deles diz que o poder público tem que assegurar a realização das manifestações que envolvem o funk, ou seja, os bailes estão inclusos e acabar com eles é um ato anticonstitucional. Outro artigo da mesma lei ainda proíbe a discriminação contra o funk e seus personagens.

  • Governo

Desde a virada do ano, o Governo vem caindo em cima dos bailes funks, principalmente no Baile da Gaiola. Em fevereiro, uma operação para acabar com o Baile resultou em quatro feridos, e na madrugada do dia 11 de março, a polícia realizou novas operações na Penha e no Complexo do Alemão com o mesmo propósito, justificando que o fluxo era patrocinado pelo tráfico de drogas.

Também vale ressaltar que além do baile funk ser uma expressão cultural, ainda é importante dizer que esse é o tipo de lazer na periferia. Dá pra contar nos dedos quantas Fábricas de Cultura, cinemas ou centros culturais o Estado se preocupa em criar nas quebradas. O baile de rua é um das poucas (pra não dizer única) opções culturais para a população das quebradas. Além de ser uma manifestação cultural, a festa ainda é responsável por movimentar a economia nos morros. Só o Baile da Gaiola reúne cerca de 20 mil pessoas por edição e quem ganha com isso são os comerciantes locais, que pagam o baile. Não se sabe ao certo quanto os bares e lanchonetes locais colados ao fluxo faturam por mês, mas se levarmos em consideração a reportagem “O fluxo do fluxo” que analisa o comércio do baile da DZ7, com cerca de 5 mil pessoas por edição, o rendimento mensal dos bares locais é de R$ 5 mil. No Baile da Gaiola deve ser ainda mais rentável para a comunidade da Penha.

*Foto por: Jeferson Delgado // Portal KondZilla

  • Habeas Corpus negado

Ainda nessa semana, o Supremo Tribunal Federal negou o pedido de habeas corpus (ação judicial que dá direito de liberdade de locomoção dos indivíduos, ou seja, ela serve pra prevenir uma restrição ilegal) de Rennan da Penha, alegando que a prisão do DJ é constitucional.

Para um dos advogados do DJ, Fabrício Gaspar, a segunda instância é absurda. “A decisão em 2ª instância se aproveita de provas imprestáveis para condenar Rennan, e além de condenar, ainda prevê uma pena acima do mínimo legal, que no caso dele, que é réu primário, seria a menor possível”.

https://www.instagram.com/p/BvZxONPAXyp/

Para a defesa, a acusação ainda é carregada de preconceito. “Batemos nessa tecla do preconceito por causa da origem dele e ao tipo de arte que ele dissemina na sociedade: a arte musical da favela, o grito dos pobres e da periferia”, explica. “Por que é preconceito? Porque ele foi absolvido pela juíza que olhou nos olhos dele durante a interrogação, que ouviu a as testemunhas da acusação que o Ministério Público apresentou. A juíza da primeira instância o inocentou com base na falta de provas e o promotor, insatisfeito, recorreu. Na 2ª instância, os desembargadores não escutam nenhuma parte nem as testemunhas, e aí entra o preconceito. O Rennan é negro, funkeiro e vem do Complexo do Alemão, uma região que sabemos que tem vários problemas de segurança. Os desembargadores levaram isso em consideração para condenarem ele”, conclui o advogado.

Depois de ser apresentado à Justiça, a defesa de Rennan vai insistir no habeas corpus pra levar a decisão pro colegiado (quando uma ação é julgada por dois ou três membros do Tribunal de Justiça), e apresentar outro HC pedindo a alteração da pena.

Nesta última terça-feira, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Rio de Janeiro soltou uma nota em repúdio ao caso, alegando que projetos de criminalização contra alguma manifestação artística acontecem por conta da cor da pele e classe social de seus autores, como aconteceu com o samba e com o rap.

  • Relação Funk e Justiça

Essa não é a primeira vez que a Justiça encrencou com o funk, e provavelmente não vai ser a última. Em 2017, criaram um projeto de criminalização ao funk, que levou mais de 20 mil votos a favor. Quem enterrou a proposta foi o senador Romário, depois de uma série de protestos de artistas. Além deste caso, Rennan da Penha não foi o único funkeiro perseguido. Antes dele, MC Tikcão, MC Smith e Rômulo Costa também foram perseguidos pela Justiça.

Por isso que levando em conta as operações para fechar o Baile da Gaiola e os MCs que foram perseguidos no passado, o caso do DJ Rennan da Penha não é algo isolado, e sim uma prática com um objetivo maior: criminalizar o funk. O funk é a cultura viva deste país e não serve apenas para ser comercializado. O gênero é uma manifestação cultural que traz esperança para as pessoas que são constantemente marginalizadas pelo Estado e encontram na arte, uma forma de sobreviver e trazer sustento para sua família e comunidade.

O Funk não é crime, o Funk é Cultura.

Categories
Musica

MC Alê está realizando seus sonhos dentro da favela

*Todas as fotos por: Deco // Portal KondZilla

Quando o assunto é revelação do funk consciente nos últimos anos, certamente o nome do MC Alê estará presente na lista. Com sucessos que alcançaram milhões de visualizações e letras que falam sobre a realidade das periferias, o jovem segue se destacando no cenário musical. Prestes a completar 15 anos, Alê reafirma que está conquistando seus sonhos e em seu novo trabalho vem para lembrar que é cria da favela. Encosta aí que o Portal KondZilla te conta sobre tudo que rolou na gravação.

Um das vozes mais jovem do funk atualmente, Alexandre Custódio,14, mais conhecido como MC Alê continua lançando grandes trabalhos e aculando milhões de visualizações. O jovem de São Bernardo do Campo ganhou destaque com a música “Preta Cor de Chumbo“, que alcançou a marca de 22 milhões de visualizações no YouTube, o que rendeu para o MC fazer parte do time de gigantes da KondZilla Records.

Na sequência, o MC chegou lançando a música “Enrola O Cabo“, com participação do MC Neguin da BRC (32 milhões), e junto com MC Rodolfinho dominaram os sons dos bailes de todo Brasil no final de 2018 com “A Entrega“, que passou a marca de 53 milhões de visualizações. Nos fluxos, não tinha uma pessoa que não cantava o bordão “É O ALÊ DO OUTRO LADO O O O”.


Na música “Festa Na Favela“, Alê vem pra mostrar que está a cada dia que passa ele segue realizando seus sonhos e quer comemorar com o seus. O nome da música condiz muito com o que é cantado pelo MC, “hoje é festa na favela, realizei o meu sonho e desfruto tanto dela”, o que torna Alexandre mais um menino sonhador de periferia conquistando seus objetivos.


“É a terceira vez que trabalho em um videoclipe do Alê. Ele é um verdadeiro intérprete, tem muita facilidade de se expressar como um artista”, comenta Silas Martins, mais conhecido como Fumaça, produtor artístico da KondZilla Records que sempre acompanha as gravações do MC Alê. “Por ser um clipe numa comunidade o mais difícil foi organizar os fãs para não invadirem o set de gravação, mas trabalhar com o que gosta acaba nem se tornando trabalho, né?!”

Diretor Tico Fernandes e sua equipe de gravações

O diretor responsável pela gravação do videoclipe foi Tico Fernandes. “Esse foi o meu primeiro trabalho com o Alê. Conheci o trampo dele com “Preta Cor de Chumbo” e tava com um vontade de trabalhar num clipe dele”, comenta o diretor. “Hoje vejo com outros olhos gravar videoclipes em quebrada com a galera. Antes eu tinha medo de não conseguir controlar o pessoal, mas agora vejo como ajuda no suporte. No dia, consegui alguém de moto pra tal cena. É bom estar nas quebradas porque a galera conhece cada detalhe”.

MC Alê está cada vez mais deixando sua marca no funk. Com letras que falam sobre prosperidade, ganhos e a realidade entre becos e vielas, o jovem segue sendo inspiração para quem ainda tá vindo na estrada do funk e almeja ser grande assim como Alexandre, que com apenas 14 anos convida a galera para se alegrar porque hoje é rave na favela.

Acompanhe o MC Ale nas redes sociais
Facebook // Instagram

Categories
Tecnologia

Aplicativo da KondZilla é o mais baixado na PlayStore

Já falamos aqui do app KondZilla SuperPads, um aplicativo pra você virar um DJ e tocar todos os sucessos do Canal KondZilla no seu celular ou tablet. O download é gratuito e está disponível na Play Store e App Store. Além disso, ainda tá rolando a campanha #KondZillaSuperPads nas redes, onde você pode mostrar toda sua habilidade na montagem ao vivo do seu hit favorito. Por todos esses fatores que o app está em 1º nas listas ‘Top Gratuito’ e ‘Tendências’ da PlayStore.

Com uma forma fácil de tocar e aprender (eles tem tutoriais de como tocar), o app caiu no gosto da galera, principalmente por ter os maiores sucesso do funk, como a nova música do Kevinho, “Facilita”.

No Instagram, são diversos os vídeos e stories da turma tocando e convidando amigos para tocar também. Ah, e é importante mencionar que o aplicativo não serve apenas pra você reproduzir os sons que a gente lança por aqui, você pode usar as batidas já prontas pra improvisar no seu próprio estilo e montar algo só seu. Ou seja, é ótimo pra quem tá querendo começar como beatmaker, mas não sabe como.

Você já baixou o seu? Senão, aproveite para baixar e mostrar sua habilidade de DJ e marque o conteúdo com a ta #kondzillasuperpads #superpadskondzilla e #kondzilla.

Link do app pra Android
Link do app pra iOS