Categories
Bregafunk Dança Funk

Ídolo de K-pop, Kino rebola ao som de “Só Você” em desafio de brega-funk

O aplicativo do momento é o Tik Tok, com certeza você já viu muitos desafios rolarem sua timeline ou conheceu alguma música através de uma dancinha viral. Outra grande sensação ao redor do mundo é o K-pop. Já imaginou unir essas duas sensações do momento? Foi o que fez a revista norte-americana “Cosmopolitan“, ao colocar Kino, integrante do grupo sul-coreano Pentagon, pra dançar na levada “Só Você”, sucesso de MC Rogerinho, com Léo Santana e Kevinho

A publicação possui um quadro chamado “Tik Tok Challenge Challenge” (Algo como desafio do desafio do Tik Tok), que une artistas desafiando-os, de quebradinha, para ver quem se sai melhor nas coreografias virais da plataforma. Na última edição, os convidados foram os jovens do grupo de K-pop Pentagon e na lista de músicas estava “Só Voce”.

Assista à dancinha de Kino a partir de 1,14

O desafio que viralizou graças à dançarina Ramana Barbosa, autora da dancinha especial para o som. O funk bomba no aplicativo, com aumento expressivo durante a quarentena, sendo uma opção de entretenimento já que aglomerações ainda não são permitidas. 

MC Rogerinho, artista de Sobral interior do Ceará, já é um dos grandes nomes de forró, e sua música “Só Você” conta com mais de 30 milhões de visualizações no Youtube, e 28 milhões de reproduções no Spotify. 

É sempre divertido assistir pessoas de outros países dançando nosso amado funk. No vídeo, Kino se saiu muito bem acompanhando os passos de Ramana, mas, infelizmente, ele não venceu o desafio. E você? Arriscaria entrar na dança?

Categories
Comportamento

“Não é porque estou dando grau que sou bandido ou a moto é roubada”, diz Donas, Influencer e Youtuber

Os dias passam, e a cultura do grau vem conquistando cada vez mais o coração da molecada dentro das quebradas, se tornando, inclusive, uma nova profissão pra quem produz conteúdo sobre esse rolê, levando os caras a uma ascensão financeira, próxima a de um jogador de futebol. É o caso de Marcos Vinicius Donatti, o Donas, de 24 anos. Mostrando o estilo de vida em duas rodas e entretendo quem o acompanha, o morador do bairro João 23, na Zona Oeste de São Paulo, cresce cada dia mais na internet e é inspiração para muito mano apaixonado pelo grau e corte. Cola com o Portal KondZilla e pega a receita!

“Desde pequeno ousado, grau de magrela“, já diria MC Neguinho do Kaxeta no funk “Problemático”. E é assim mesmo que acontece: “Grau começa desde quando o moleque ou a menina aprendem a andar sem as duas rodinhas na bicicleta, os pais sempre falam ‘dá um grau’. Então, por mais que seja perigoso, no meu ver não é algo que a sociedade acha zoado”, explica Donas. 

O influencer conta que ainda existe um preconceito muito grande com a galera do grau e corte, mesmo quando as manobras são praticadas em um local abandonado: “Não é porque eu estou dando grau que eu sou bandido ou que a moto é roubada”, defende. 

Como desmistificar essa visão? Donas manda o papo: “O primeiro passo para tornar o grau um esporte pode ser utilizando um espaço seguro como Interlagos (autódromo), Anhembi ou na Praça do Pacaembu. Não é nada surreal, tanto que estou construindo o espaço do Graupão; lá vai ter uma pista, onde as pessoas vão poder aprender empinar de forma segura. Vamos tentar começar por aí, mostrar que dá para ter um grau seguro e prudente”. Conheça o projeto galpão do grau de donas localizado em São Paulo.  

Profissão adrenalina

Lançou o “fio fio” (bordão desse mano do João 23) – sabemos que Donas está na área. Vivendo a vida em cima de duas rodas, ele conta como tudo começou: “A paixão por grau e moto veio do meu pai, é de família. Ele sempre gostou de carro e moto e, mesmo sendo de quebrada, ele sempre foi correria, vários trampos. Por isso, tive uma criação enxergando esse estilo de vida com brilho nos olhos”.

A herança familiar hoje é passada adiante através do Youtube (2 milhões de inscritos) e Instagram (880 mil seguidores), plataformas nas quais Donas é referência para muita gente. “Ao mesmo tempo que é daora, sinto uma responsa muito grande porque preciso pensar um milhão de vezes antes de fazer qualquer coisa. Mas eu gosto, sou feliz com o que eu faço, e sei que ajudo outras pessoas a serem um pouco mais felizes”, relata.

Além de dar um grau em grande estilo, Donas é formado em Tecnologia da Informação (T.I), dono de mercado, influencer e youtuber. Hoje no auge, ele passa a visão para os moleques que se inspiram no corre dele: “Aquele clichê básico: nunca desistir, se você desiste nunca chega em lugar nenhum. E estude, mas estude não só no sentido de ir pra escola e aprender o básico, seja bom fora da escola também, busque coisas novas, se espelhe em pessoas boas, tenha humildade, saiba chegar e sair de qualquer lugar e tenha os pés no chão que vocês vão chegar longe”.

Acompanhe Donas nas redes sociais: Instagram // Youtube

*A prática do grau, também conhecida como “wheelie” , “wheeling”, ou “stunt”, é considerada um esporte radical, que consiste na realização de manobras com motocicleta e/ou bicicleta, por indivíduos habilitados e autorizados pelos Órgãos Públicos e em locais próprios. Entretanto, a legislação brasileira não permite essa atividade nas ruas, estabelecendo no Código Brasileiro de Trânsito, em seu art. 244, inciso 3, que conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor, fazendo malabarismo ou equilibrando-se apenas em uma roda, é considerada infração grave.

Categories
Comportamento Matérias Entrevista

“A missão da mansão maromba é transformar seu talento em potência”, diz Toguro

Já imaginou um lugar que reúne a galera maromba, funkeiro, gamer e mais uma pá de gente? Se você não tá moscando, tá ligado que esse canal existe no YouTube e é sucesso. O Em Busca do Shape Inexplicável, do Toguro, reúne tudo isso e muito mais. O Portal KondZilla trocou uma ideia com o responsável pela Mansão Maromba pra entender mais sobre a história dela. Se liga. 

A mansão nasceu do desejo de Toguro de ter uma casa e poder receber os amigos, coisa que ele sempre curtiu. “A ideia surgiu quando minha mãe ainda era viva. Eu sempre recebia os amigos em casa e ela não curtia muito porque meus amigos são marombas e comem muito”, explica ele. Quem pensa que a casa só recebe a galera trincadona se engana. A mansão reúne um pessoal bem diverso, mas todos com o mesmo propósito. “A gente se compara com o ‘X-Men’ porque todo mundo tem um talento e a missão da mansão maromba é transformar o seu talento em potência porque muitas vezes, você não acredita no seu dom e ele acaba sendo esquecido”, diz Toguro. 

Nos vlogs do dia a dia vemos um grande incentivo pra que todo mundo produza e estude e um está constantemente somando com o outro. “A maior dificuldade do ser humano é aprender com qualquer pessoa. Todo dia eu to aberto pra aprender com todas as pessoas que frequentam minha casa, seja anã, anão, empresário, alguém que passou dificuldade, MC lan, etc. A mansão é isso, todo mundo tem algo a aprender e algo a ensinar”, comenta ele.



Se antigamente o canal Em busca do shape inexplicável era mais focado em fit, hoje os assuntos são mais diversificados, principalmente por conta dos vlogs, que mostram o cotidiano dentro da mansão. “O canal é como se fosse minha vida online. Tudo que tá lá sou eu”, explica Toguro sobre a mudança do conteúdo. “Comecei mais centrado no mundo fitness porque eu só treinava, mas o canal e minha imagem criaram uma força tão grande que sou bem-vindo em qualquer área. Então hoje a gente grava funk, sertanejo, rolê, stand de tiro, etc, mas a musculação ainda é o foco central porque é o que eu mais curto fazer atualmente”. 

Junto de uma galera do YouTube e de outras plataformas, Toguro  faz parte de uma rede de influencers que inspiram a molecada a trabalharem no meio digital. Se antes o sonho era ser funkeiro ou jogador de futebol, hoje as crianças também tão sonhando em ser youtuber, streamer ou jogador profissional de e-sports. “Essa mudança veio conforme a TV começou a perder a relevância. Hoje a criançada já nasce com o celular na mão. Vejo muita gente querendo ser youtuber, esse negócio de ser jogador tá sendo eliminado na boca da molecada”, diz ele. “Acho isso ruim também porque isso tira um pouco do esporte das crianças. Não vejo mais elas brincando na rua, mas também tem o lado que tenho que valorizar meu trabalho. Eu prego muito a ideia de ser youtuber e fico muito feliz quando falam que querem ser também”. 


Assim como tudo na vida, trabalhar com a internet também tem seus pontos negativos, principalmente com a fama. “Um dos principais desafios é a questão da privacidade, que to perdendo um pouco junto com minha segurança e paz emocional”, pontua Toguro. “Fora isso, é muito legal lidar com público, encontrar as pessoas na rua e elas falarem que algum vídeo que eu fiz mudou a vida delas. Recebo diversos depoimentos de mães falando que salvei a vida do filho delas. Toda vez que ligo a camera, não é pelo dinheiro nem pela fama, é pelo amor e tudo que a gente faz pelo amor, não medimos esforços”. 

Acompanhe o Toguro: Instagram // Mansão Maromba // Em Busca do Shape Inexplicável // Abe TV // Growth TV // Love Funk TV

Categories
Comportamento

Popular no TikTok e nas ruas de São Paulo, o Rei da Vitrine inspira pessoas limpando vidros

Há muito tempo a internet vem possibilitando que figuras que muitas vezes passam despercebidas possam incentivar sonhos através de seus trabalhos. Quem diria que um limpador de vidro, cabeleireiro ou um faxineiro poderiam ser tornar sucesso? Pois bem, eles são, e a internet é uma das responsáveis por alavancar essas figuras, como é o caso de Léo Miranda, mais conhecido como Rei da Vitrine. Quer ficar por dentro de como pessoas que realizam tarefas diárias também são inspiração? Então cola com o Portal KondZilla.

Esfregão, rodo, coordenação motora, uma boa música para dar o embalo e a força de vontade, é assim que Léo Miranda, mais conhecido como Rei da Vitrine, realiza seu trabalho desde 2015 e como consequência vem crescendo nas redes sociais, conquistando a marca de quase meio milhão de seguidores no TikTok e próximo de 23 mil seguidores no Instagram.  

Natural de Pernambuco e hoje residente do Capão Redondo, zona sul de SP, o jovem de 25 anos começou enfrentar seus primeiros desafios ao ver sua mãe, pai e irmãos voltarem para a cidade natal. “Somos em 8 irmãos, em 2011 minha mãe recebeu uma proposta de trabalho na nossa cidade natal em Pernambuco, eu fui junto, mas alguns anos depois voltei para São Paulo”, explicou Léo Miranda.

O primeiro contato com a área de limpeza de vidros veio depois através de um amigo da época de escola. “Quando voltei para São Paulo tinha que pagar aluguel, então trabalhava de domingo a domingo, até que encontrei um amigo que trabalhava com isso e pedi uma indicação”. Porém o trabalho mesmo surgiu depois de um bolo na entrevista. “O chefe desse meu amigo marcou uma entrevista comigo e não apareceu, liguei para ele e ele disse ‘amanhã você começa limpar vidros’. Desde então estou nessa”.  

View this post on Instagram

🙌🏾❤️

A post shared by Leo miranda 👑🧽 (@rei_da_vitrine) on

Com a manha de limpar vidros, Léo da Miranda foi trabalhar sozinho, mas para isso precisava encontrar um diferencial, logo passou divulgar seu trampo nas redes sociais através de vídeos e chegou a figuras como: MC Paulin da Capital, Tcar, conhecido por vender carro para os MC’s e o barbeiro Pepe que já esteve aqui no portal conosco

Com toda repercussão dos vídeos, o jovem passou a ser referência para outras pessoas. “Eu até estranho às vezes porque as pessoas pedem pra tirar foto comigo na rua e falam ‘é o menino que limpa vidro no TikTok’, isso pra mim é gratificante”. Logicamente o esforço de todo um trabalho feito com amor vem surtindo resultados. “Consegui arrumar toda minha casa, consigo manda um dinheiro legal para os meus pais, mas o principal mesmo é o reconhecimento que venho tendo”, comenta ele.

Já imaginou um limpador de vidros dando um talento no seu estabelecimento no ritmo do mandela? Léo Miranda, o Rei da Vitrine, pega trabalhos através do Instagram @rei_da_vitrine, de quebra você vai ajudar o jovem a realizar o sonho de pagar a cirurgia do pai que não enxerga muito bem. 

Corre como o de Léo Miranda, o Rei da Vitrine, nos inspira e inspira outras pessoas, sendo assim o jovem deixou uma mensagem pra todos os sonhadores: “Nunca deixe ninguém te dizer que você não pode fazer alguma coisa, se você tem um sonho, corra atrás”. Por fim, é o segredo é calma afinal. “Lembre-se tudo, exatamente tudo, tem o tempo certo para acontecer. Por isso, acredite principalmente em você”, finalizou.

Acompanhe o Rei da Vitrine no Instagram e TikTok 

Categories
Comportamento

Vini Boca de 09, o humorista mirim do Instagram

No início da pandemia o vídeo de um garotinho comendo ‘pão com pão‘ viralizou nas redes sociais, logo em seguida outro conteúdo rodou, mas dessa vez ordenando “cê saia coronavírus”, provavelmente, você deve ter visto ou quem sabe recebido os vídeos do humorista mirim pelo WhatsApp. Desde então, Vinicius Oliveira Santos, 12, morador das quebradas de Saramandaia, Salvador, Bahia, saiu do zero a um milhão de seguidores no Instagram. Quer saber como está a vida do garoto agora e dar umas boas risadas? Conversamos com a mãe dele, então pega a visão no Portal KondZilla.  

View this post on Instagram

INSTAGRAM SEGUE LÁ GALERA vini_do_0800

A post shared by BOCA DE 09 🅙 (@vini_do_0800) on

Diana Pampa Oliveira, 31, faxineira, mãe de Boca de 09, explicou como tudo começou lá em março deste ano. “Foi quando ele ganhou um celular do meu pai e fez um vídeo imitando Frank Reis, um humorista aqui de salvador. Logo em seguida começou a pandemia e ele fez o do coronavírus viralizou também”.

No primeiro sucesso o garoto inicia o vídeo dizendo “filma aí bota no zap na boca de 09, pão com pão, né fio?”, diz ele, que segue se mostrando bolado. “Pão está parecendo pedra, mas vai”. Alguns dias depois e Boca de 09 ataca novamente. “Alô, é o Coronavírus? Não, não passe pra ninguém não é eu que quero falar com você boca de 09”. E ordena. “Cê saia, cê saia do Brasil que eu não quero mais se sair da sua vida”. 

Depois de ambos os vídeos, o sucesso do Boca de 09 se consolidou na redes e a vida mudou. “Ainda não tivemos um estalo real sobre essa fama, até porque não estamos saindo de casa já que os casos de coronavírus aqui na Bahia estão muito altos, mesmo assim quando é preciso sair, as pessoas reconhecem e perguntam dele”. A fama foi perceptível na internet, quando Boca de 09 foi do zero a um milhão de seguidores em pouquíssimo tempo. “Fomos ver que ele estava realmente famosos mesmo quando bateu um milhão de seguidores no Instagram”.

Mesmo com todo o barulho de 09 e seus conteúdos, a mãe vem tomando alguns cuidados e acompanhando a evolução do garoto, afinal Vini ou Boca de 09 só tem 12 anos. “Eu fico sempre de olho no que ele está fazendo, quando vocês entraram em contato com ele foi eu quem permitir passar o telefone, tenho acesso a tudo”.

Sobre propostas de trabalho que demanda sair de casa a mãe deu o papo. “Estamos nos resguardando muito porque se dependermos de hospital público não vamos ter respiradores para sobreviver, sabe como é hospital público eles vão resolver quem vai morrer e quem vai viver, eu não quero está no meio dessa escolha”.

Por fim, a mãe explicou que Boca de 09 é uma criança como qualquer outra que gosta mesmo é de se divertir. “Não está tendo escola então ele fica em casa assistindo televisão e jogando videogame”. E as responsabilidades também batem na porta do garoto. “As vezes coloco ele pra lavar uma louça também pra não ficar preguiçoso”, disse Diana, mãe a sorrindo.  

Para concluir o papo o próprio humorista mirim agradeceu aos fãs e seguidores. “Só queria pedir obrigado a vocês que curtem o meu trabalho, gosta dos meus vídeos, só tenho agradecer, nada a reclamar, quando acabar essa pandemia vamos está todo mundo junto com fé em Deus”, finalizou Boca de 09.

Acompanhe Boca de 09 no Instagram 

Categories
Empreendedorismo Comportamento

Desempregado, Felipe Abreu fundou sua própria marca de roupa

Concluir o ensino médio é uma incógnita para grande parte dos jovens, principalmente, pros periféricos, afinal vários questionamentos surgem: vou para universidade; como faço para encontrar um emprego; o que vai ser da minha vida agora? Essas e outras questões bateram no Felipe Abreu, 20, morador do São Gonçalo, Rio de Janeiro. Desempregado e sem conseguir uma oportunidade de emprego, Felipe criou sua própria marca de roupa a base do improviso e segue sonhando. Cola com o Portal KondZilla e entenda mais dessa história. 

Nenhuma empresa me contratava, hoje eu sigo criando a minha“. Foi assim que Felipe Abreu, criador da marca Chain Break, viralizou no Twitter. A fundação da marca nasceu do sonho do garoto de ingressar na universidade e ao mesmo tempo auxiliar a coroa nas despesas de casa. 

“Quando concluí a escola, minha mãe queria que eu conseguisse um trabalho para ajudar ela em casa porque somos só nós dois, mas eu não queria só trampar e não ingressar no ensino superior, coisa que ninguém da família infelizmente conseguiu”, comenta ele. Entretanto, sem uma indicação seria bem difícil de Felipe encontrar um trabalho. “O problema foi que quando entrei na universidade, descobri que a grade era integral e para conseguir um emprego teria que ter uma indicação de horário flexível, e eu não tinha ninguém para ser essa pessoa na minha vida”.  

Sendo o primeiro da família a conseguir ingressar no ensino superior, abdicar do sonho estava fora de cogitação. “Mesmo com tudo isso eu estava bem motivado por ter conseguido uma vaga em uma universidade pública”. Então o caminho encontrado foi a criação da Chain Break. “Mas é aquilo, tinha que ajudar minha mãe em casa, então pensei que era a hora de vou essa ideia da marca em prática”. 

Sem um investimento inicial, o jeito foi recorrer ao pouco dinheiro da bolsa de transporte para iniciar o projeto lá em 2018. “A maior dificuldades é a falta de investimento porque não sabemos se o dinheiro investido vai voltar, pensa, eu precisando de dinheiro e dedicando o que não tinha em uma marca”. A tentativa inicial não deu certo, mas Felipe seguiu tentando. “A primeira produção, fiz com a grana de uma bolsa de transporte que eu recebia para ir pra faculdade, estava na férias e pensei ‘vou investir agora e quando voltar, já vou ter recuperado’, mas acabou que esse dinheiro que usei na primeira coleção não rendeu”. 

Processo criativo e viralização nas redes sociais

Sem os recursos necessários, Felipe entendeu que criatividade é a chave do negócio. “Eu faço tudo em casa, estampo as peças na mesa, a criatividade está em tudo que eu preciso, não só nas estampa e produto final”. Enquanto o sucesso não vem é tudo no improviso. “Preciso ter criatividade até pra ter ideia de como consigo fazer sem ter os recursos ideais, porque não tenho”.  

Quem não está na internet não está em lugar nenhum e a redes sociais deram um gás no negócio de Felipe. “A primeira viralização foi em junho deste ano quando postei falando que não estava conseguindo auxílio e as pessoas começaram visualizar minha marca, consegui 40 pedidos, coisa que jamais imaginava porque na minha primeira coleção demorei o ano todo pra vender 18 peças”. Ainda com a viralização os frutos estão começando a brotar, mesmo assim Felipe da o papo, desistir não é uma opção. “Mesmo assim é tudo muito recente, ainda está sendo algo que está acontecendo, então não tem como eu falar que tenho colhido grandes frutos disso, mas estou na luta”. 

Vale ressaltar que o jovem Felipe Abreu é responsável por todos os processos da loja que vem conquistando força depois de viralizar no Twitter, fazendo com que o empreendedor possa viver o sonho da universidade e auxiliar sua mãe nas despesas de casa. Histórias como essa nos mostra ainda que é possível encontrar caminhos mesmo que difíceis para realizarmos o nossos sonhos, então é aquilo, marcha nos progressos. 

Acompanhe a loja de Felipe Abreu no Instagram  

Categories
Comportamento Matérias

Justin Bieber brasileiro viraliza nas redes sociais

“Now you got that inhame inhame”. Você provavelmente deve ter visto algum meme do Justin Bieber carioca nas redes esses dias. Nós trocamos uma ideia com o Daniel Xavier, que criou o meme pra entender da onde surgiu a ideia. 

Daniel Xavier, 22 anos, cria da favela do lixo [Cabo Frio], que hoje mora em São Paulo, viralizou na internet nos últimos dias como o Justin brasileiro, mas a história dele nas redes vem de anos. “Vim de família pobre de favela e minhas brincadeiras na infância eram no quintalzinho, de pipa e tal. Fui ter meu primeiro notebook em 2010, que travava pra caramba, mas dava pra ver vídeo no YouTube”. 

Na época, ele já era fã do Justin e criou um canal como Justin Bieber Brasileiro. “Antigamente tinha preconceito que quem era fã do Justin era viado e eu nunca liguei pra isso, sempre fui cria e fã dele”. Daniel é tão fã do artista canadense, dono de hits como “Yummy“, “Baby” e “Sorry“, que tem até algumas tatuagens iguais ao ídolo. 

Nisso, Daniel já começou a criar vídeo na internet do jeito que dava. “Eu nem tinha noção de nada, achava que ia acontecer que nem com o Justin, postar um vídeo na internet e viralizar. Fui crescendo e alguns vídeos meus chegaram a viralizar e bater 1 milhão de visualizações, mas nunca desse jeito”, conta ele. 

A brincadeira que o levou a ganhar mais de 100 mil seguidores no Instagram em um dia veio do nada. “Isso tudo aconteceu depois que eu comprei um Iphone pra melhorar a qualidade dos meus vídeos. Baixei o aplicativo e comecei a brincar com os personagens que tem lá e o que encaixou mais foi o Justin”, explica Daniel. “Gravei o vídeo na barbearia e joguei no Instagram e no Tik Tok e no dia seguinte já tinha viralizado. 

Depois de muitos anos criando conteúdo na internet, Daniel tá ligado que meme é passageiro. “Agora preciso ter mais ideias pra ir mantendo porque os vídeos tão levando alegria pra galera, mas meme é passageiro”, diz. “Nisso de viralizar, consegui o contato com um cara da equipe do Justin e agora só vou parar quando ele me notar”. 

Acompanhe o Justên nas redes sociais: Instagram // Tik Tok // Twitter

Categories
Comportamento

No Dia do Motociclista veja canais sobre moto

Hoje, dia 27 de julho, é o dia do motociclista no Brasil, dia pra celebrar toda a galera que vive a vida em duas rodas. Pra lembrar o dia, fizemos uma lista da galera que produz conteúdo sobre moto, seja motovlog, vídeo de grau e corte, sobre peças e derivados pra você acompanhar. Pega a visão.

Morena do Xjtão

A Morena do Xjtão já apareceu no canal do Portal KondZilla e no canal dela tem vídeo sobre tudo, motovlog, histórias de situações que ela já passou nas ruas e muito mais.

Thays RX

A Thays RX é uma das minas que fala de moto no YouTube com mais inscritos. No canal dela também tem os mais variados tipos de conteúdo tudo envolvendo o mundo das motos.

Hugo Mil Grau

O Hugo Mil Grau é outro que já deu as caras no canal do Portal KondZilla e em seu próprio canal tem mais de 3 milhões de inscritos e vídeo sobre moto, carro e derivados.

Puxou Cortou Raspou

Comandado pelo Eder Grau o canal Puxou Cortou Raspou tem mais de 1 milhão de inscritos e um conteúdo bem diversificado pra galera que curte motovlog e vídeo de grau.

Renato Garcia

Se você curte moto é quase impossível que você não tenha ouvido falar no Renato Garcia, o gigante tem mais de 18 milhões de inscritos no YouTube e cria conteúdo voltado pros amantes das duas rodas, mas também praqueles que piram em carros, principalmente, carros customizados.

Amanda da 160 

Outra mina foda no toque é a Amanda da 160, que tem vídeos de motovlog, customização de moto a até conteúdo ensinando a andar de moto, pra quem sonha em lançar uma moto, mas tem medo. 

Motoka Cachorro

O Motoka Cachorro é outro gigante do YouTube de moto e tem vários vídeos mostrando motos diferentes. 

Rizolito Motoboy

Rizolito mostra a vida de motoboy em São Paulo. Sempre com um papo de visão, bom humor e rodando a cidade inteira, Rizolito é figura conhecida no Youtube. Quem já deu um rolê na moto dele foi o MC Alê.

Lucas Motovlog

Falou em motovlog é com o Lucas Motovlog. No canal dele tem vídeos mostrando muita moto diferente e é perfeito pra quem tá começando a manjar de moto. 

Categories
Notícias Comportamento Matérias

Laryssa Lenne, a chavosa do Tik Tok

Roi, qual o seu vulgo?” O dela é Laryssa Lenne e você provavelmente já viu algum Tik Tok com ela rodando por aí nas redes sociais. A mandraka tem crescido na plataforma e tem representado a galera chavosa. Nós trocamos uma ideia com a Laryssa sobre como ela começou a usar a plataforma e sobre a galera chave no Tik Tok. Chega mais.

@laryssalenne

##pov: o chavoso esqueceu o tênis no baile 🙈 ##humor ##mandrake ##fy ##fyp ##viral ##destaque IB: @igorjustino

♬ som original – lzmaario

O Mario Jr, do “Roi Letícia, né?” viralizou fazendo os vídeos de POV, que mostram um “ponto de vista” de alguma situação (tradução literal de Point of View). Recentemente, o Wagner MCL também viralizou respondendo o Mario Jr, daquele jeitão chavoso. Agora, Laryssa fez o seu próprio vídeo, falando com um quebradinha no baile.

https://www.tiktok.com/@laryssalenne/video/6843524612316286214

Diretamente de São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, Laryssa tem apenas 22 anos e começou a se aventurar na plataforma há dois meses. “Comecei a fazer vídeos em abril. Por conta da quarentena, eu fui mandada embora e me vi sem ter o que fazer. Meus amigos diziam pra eu criar um Tik Tok, que era minha cara. Como eu já curtia fazer vídeos e achava daora o Tik Tok, criei o meu”, conta ela.

Laryssa é formada em Rádio e TV e desde pequena arrisca umas brincadeiras. “Sempre fui mais engraçada, fiz teatro e mesmo na faculdade e em outras redes sociais eu fiz alguns conteúdos mais puxados pra comédia”, explica ela sobre da onde surgiu a veia pro humor.

Apesar de ainda serem poucos, os chavosos estão aparecendo no Tik Tok e mostrando que tem sim funkeiro de quebradinha produzindo conteúdo, representando os mandrake. “Não vejo tantas pessoas de quebrada que faz conteúdo pra galera mais chave, vejo mais a galera padrão e mais classe média”, diz Laryssa. “Quando eu apareci, toda diferente e desconstruindo o padrão das minas, que geralmente são mais fofinhas, muita gente se identificou com o meu jeito”.

Laryssa e Wagner tão mostrando que os chave também produz conteúdo no Tik Tok e que tem muita gente interessada em assistir, o que mostra que a rede pode ter espaço pra geral, independente de estilo ou classe. Então se você tem vontade de se jogar na plataforma, só vai.

Acompanhe a Laryssa Lenne: Instagram // Tik Tok

Categories
Comportamento

Nike apresenta futuro lançamento: Air Max Plus 3 versão ‘Triple Black’ de couro

No final do ano de 2019 a Nike relançou em três cores o Nike Air Max Plus 3 retro: preto com azul, preto com cinza e azul escuro com detalhes em verde. Se comparado com os outros tênis semelhantes, o relançamento do Air Max Plus 3 não fez tanto barulho, mesmo assim, a Nike apresentou recentemente a futura roupagem do tênis que vem na versão “Triple Black” em couro. Pega a visão no Portal KondZilla.

Diferente dos relançamento do ano de 2019 a nova versão do Air Max Plus 3, também conhecido como Tn3, vem em uma pegada totalmente mais casual, para aquele(a) mandrake que não curte chamar muita atenção, ainda que o tênis seja bem malado.

O couro preto predomina no tênis, o calcanhar também é revestido por um plástico na cor preta, que somente cede espaço para os emblemas “Tn Air” que é composto por amarelo e branco na sola. Com calcanhar medial, língua e palmilha e os sistema de amortecimento também chegam com um acabamento transparente, fugindo assim um pouco do preto.

Segundo o portal de notícias RapMais ainda não se sabe uma data prevista para lançamento do Air Max Plus 3 em couro, mas pode ser que os pares cheguem ao site Nike.com assim que o outono se aproximar dos Estados Unidos. Gostou da nova cor do boot? Pega a visão em mais detalhes através da fotos.

Veja também as cores dos relançamento de 2019

Assista também