Categories
Grafiti

Kond é homenageado em mural grafitado no Guarujá

Criador do único canal no YouTube brasileiro com mais de 50 milhões de inscritos, o Kond, da KondZilla, foi homenageado com um mural grafitado com seu rosto e o símbolo da KondZilla na Vila Santo Antônio, sua quebrada natal, no Guarujá. O feitor dessa obra é ninguém menos que o artista plástico Francisco Kleison, 24, morador do Guarujá. Ele também é responsável pelo mural da escola Raul Brasil, em homenagem às vítimas do massacre de Suzano.

A figura do Kond é mesmo muito representativa para quem o acompanha, não é atoa que ele foi considerado um dos 100 afrodescendentes mais influente do mundo. É de se entender, afinal, não é sempre que alguém cria um império no funk e leva a música de favela para o mundo. Por isso, é impossível falar de funk e não pensar no Kond. Dito isso, Francisco explicou de onde veio a ideia do mural. “Temos um plano de fazer vários murais homenageando os artistas da cidade. Então, estávamos procurando um muro para fazer sobre o ‘funk fez história’, com MCs da Baixada Santista. Foi quando resolvemos fazer a homenagem para o Kond”.

Quando se fala em favela e projetos, o que queremos é construir algo que nos possa trazer uma melhora de vida. Pro Kond, não foi diferente, porém, visionário, ele superou as expectativas e hoje é inspiração às pessoas ao seu redor. “A figura do Kond é muito importante porque motiva a rapaziada aqui da quebrada. No dia que estávamos fazendo o grafite, encostou vários amigos dele de infância e pelo o que a galera comenta, a história dele incentiva muito”. A admiração é de quebrada pra quebrada. “É gratificante ter um cara com esse dom com esse trabalho e sabendo que é da nossa cidade”.

Grafiteiro e Sidnei Oliveira seu assistente pousando no mural

A arte pode mudar a vida das pessoas que às vezes não tem sequer esperança e perspectiva no futuro. O trabalho feito por Francisco é muito maior do que uma simples homenagem, é realmente sobre levar a esperança para as pessoas através da arte. “Eu venho percebendo que a arte tem um poder enorme para entrar na mente da juventude. Temos um trabalho nas escolas que convidamos os alunos para pintarem o próprio muro da escola e a proporção é muito grande, isso pode tirar muita gente das ruas, das coisas erradas”.

O morador José Raimundo, mais conhecido como Dinho, de 66 anos, é vizinho do mural que homenageia o Kond e está muito feliz por ter esse feito praticamente na parede de sua casa. “É muito importante para a cidade e para o bairro, porque podemos enxergar que tendo força de vontade a pessoa vence”. Ele ainda deu o papo para a molecada. “Todo mundo pode chegar aonde ele chegou é só ter um objetivo na vida e procurar alcançar ele. Pra isso precisa estudar, buscar uma profissão, não se envolver com drogas que as coisas dão certo. As pessoas precisam se inspirar no Kond porque todos têm a capacidade de vencer”. Concluiu José.

Morador da Vila Santo Antônio José Raimundo, mais conhecido como Dinho

E para quem quer conhecer o mural ele está localizado na Rua Alameda das Violetas, Centro, Guarujá – SP próximo ao Mercadão Munhoz.

Acompanhe o KMJ Graffi no Instagram
Acompanhe Kond no Instagram

Leia também:
Muralista Eduardo Kobra faz tour pelas favelas de SP
Grafiteiro homenageia ícones do funk em mural
Ermelino Matarazzo vira a Vila Madalena da quebrada com o “Beco do Hulk”

Categories
Grafiti Histórias que inspiram Matérias

Grafiteiro homenageia ícones do funk em mural

Imagina que louco você passar em algum lugar da cidade e ter um mural só com funkeiros grafitados. Imaginou? Pois é, isso se tornou realidade graças ao grafiteiro Anderson Eduardo. E não se assuste que o cara não começou a pouco tempo no mundo das artes não, chega mais que o Portal KondZilla te conta mais sobre esse cara e seu trabalho envolvendo muros e grandes artistas.

Morador da zona sul de São Paulo, mais precisamente no bairro Praia Paulistinha, Anderson, 37, conheceu a pintura no ano de 1996, com apenas 16 anos e foi amor a primeira vista. “Eu já trampava com faixas e letreiros, um dia vi um cara grafitando e era aquilo que eu queria pra minha vida, comprei um compressor e fui pra cima”. O artista sempre trabalhou com diversos tipos de desenhos nas paredes, desde a publicidade até desenhar artistas em casas de shows, nessas ele foi se aventurando, até que nessa onda o cantor de pagode Mumuzinho viu seu rosto grafitado por Anderson e gerou uma grande repercussão na carreira do artista dos spray, Anderson já desenhou em muros artistas como: Bezerra da Silva, Thiaguinho, Péricles, Reinaldo, Dodô do grupo Pixote, Belo (2 duas vezes), Os Trapalhões, Arlindo Cruz e vários outros artistas que marcaram gerações. O tema da vez, foi o funk – movimento que também marcou muitas gerações.

Em julho de 2016 ele grafitou as paredes para o clipe do MC Huguinho da música “Funk Pede Paz” que foi um trabalho de produção aqui da KondZilla. A música é uma homenagem a todos MCs que já partiram dessa para uma melhor. No clipe o MC vai caminhando por um galpão e a cada passo ele vai dando de cara com as caricaturas dos MCs grafitados nas paredes. “Eu já tinha feito pessoas que partiram, foi bem emocionante fazer esse trabalho do MC Huguinho”, explica o autor dos grafites .

A ideia do mural do funk surgiu pela proximidade que Anderson tem com algumas pessoas do funk, Kleber Kokão e o Youtuber Kelvyn Lopes são algumas dessas pessoas. Kleber trabalha na Play Produtora e fez o suporte para rolar a presença de alguns MCs até o mural, enquanto o youtube Kelvyn teve a mesma responsa, a dupla de amigos foram sugerindo os MCs que teriam disponibilidade para irem até o mural apreciar o trabalho de Anderson. E foi assim mesmo que você tá pensando, Anderson fez como um lance de troca, grafitou quem poderia fortalecer seu trabalho, desde stories do processo de pintura até ir ao local tirar foto e postar nas redes sociais. Os MC’s escolhidos para estar no mural são, MC Brankim, MC Menor MR, MC Rita, MC MM, MC Dede, MC WM, MC Nego JP, MC Leozinho SP, MCs Jhowzinho e Kadinho, Jhury Machado e Kelvin Lopes que mesmo não sendo MC tem um papel importante no funk paulista.

O mural está localizado na Av. Interlagos 5111, e como o Anderson já deu a letra: se for encostar tira aquele retrato e dá uma moral pro cara. Anderson não pensa em parar no momento de envolver sua arte com o funk não. Lembra no começo da matéria que eu comentei sobre os grafites dos MCs que já se foram no clipe do MC Huguinho?! Pois bem, Anderson vai trazer o projeto para essa estética de mural, sim meus caros leitores, teremos um mural com MCs que nos deixaram ao longo dos anos. “To pensando em fazer na frente do Mural do Funk mesmo, não é certeza ainda esse local, mas irei homenagear todos MCs que nos deixaram, Duda do Marapé, MC Primo, Catra, Daleste”.

E aí, curtiu o mural do funk?! O grafite também é arte, também vem da cultura de periferia assim como o funk, isso mostra o quanto as coisas estão conectadas e nem percebemos em alguns momentos.

Acompanhe o trabalho do Anderson pelas redes:
Instagram // Facebook

Categories
Grafiti Notícias Comportamento Matérias

O projeto “Criando Criadores” forma agentes culturais na quebrada

Não é de hoje que a periferia sofre com a falta de opções de lazer e cultura. Porém, existem alternativas para suprir essa falta de presença do Estado. Uma dessas alternativas é o projeto Criando Criadores, que fomenta a criação de agentes culturais dentro da periferia com um curso de duração três meses, e o Portal KondZilla foi conferir na “formatura”, como funciona e qual a ideia desse curso. O evento de conclusão aconteceu no Festivarte Ermelino, realizado neste domingo (6), no distrito Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo, e teve como principal convidado o rapper Rincon Sapiência.

Para você entender melhor, o Criando Criadores tem a proposta de fornecer formação técnica para agentes culturais da periferia, visando as zonas mais afastadas da cidade e as mais carentes de cultura. A iniciativa tem apoio da empresa ArcelorMittal Brasil, através do edital ProAc do Governo do Estado. Com início neste ano, a primeira turma do projeto começou em maio e ao longo de três meses, os cerca de 40 alunos aprenderam todas as informações necessárias para produzir um evento, desde a divulgação e promoção, até a solicitação junto a prefeitura para liberação de alvarás e autorizações. Tudo isso de forma gratuita para os estudantes.

“Notamos que havia uma carência de pessoas na periferia com bagagem de produção de eventos. E nosso foco foi esse, fornecer ferramentas para os alunos terem uma noção teórica e prática, fomentando assim eventos culturais na periferia”, explica Tomás Gonzaga, coordenador-geral do Criando Criadores.

Depois dos três meses de curso, os alunos tiveram um teste a vera: a realização de um evento cultural na quebrada, mais especificamente em Ermelino Matarazzo. E que tal já colocar em prática todo o conhecimento no próprio evento de organização? Essa foi a ideia dos educadores.

“O curso foi realizado na ocupação aqui de Ermelino e tínhamos participantes de toda a cidade, tinha gente vindo até do Capão Redondo, lá da Zona Sul. Porém, boa parte do pessoal era da Zona Leste mesmo. Por isso, eles [alunos] procuraram artistas que se identificassem com a quebrada e também comerciantes da região, pois sempre tem aquele amigo do dogão, que faz comida vegana, entre outras coisas”, disse Tomás.

O Festivarte contou com a presença de artistas como a MC Soffia, o cordão Samba do Tempo, a poetisa Mariana Felix, além da grande atração do dia, o rapper Rincon Sapiência. Além dos artistas, como disse Tomás, o evento também contou com a presença de comerciantes locais que ficaram responsáveis pelos comes e bebes. A criançada também teve seu espaço, com brinquedos e opção de lazer.

Artistas de grafiti fizeram trabalhos durante o evento em Ermelino Matarazzo

“O mais valioso para nós, é ver a importância da cultura na periferia. Não é só a questão do lazer, mas também levar e receber informação.Trabalharmos em conjunto em prol da periferia. Esse foi o ponto principal do projeto”, avalia Priscila Akiyama, uma das alunas do curso.

Com cerca de sete horas de duração, o evento contou com uma estrutura completa, segurança e foi sucesso de público. E a expectativa é que em 2018 o projeto tenha continuidade.

“Foi o primeiro curso e ficamos felizes com resultado, os alunos conseguiram cumprir todas as metas estipuladas, foi tudo bem programado. A gente quer continuar aqui, ele tem um foco no desenvolvimento da Zona Leste, mais especificamente de Ermelino Matarazzo”, finaliza.

Se ficou interessado no curso e em conhecer melhor esse mundo dos agentes culturais, conheça um pouco mais do trabalho do Criando Criadores e de outras partes envolvidas no projeto, como o Cingulado, Movimento Cultural Ermelino Matarazzo, e o ProAc, programa do governo estadual de incentivo à Cultura.