Categories
Bregafunk KondZilla Funk

Tainá Costa e Dadá Boladão gravam clipe para o bregafunk “Sentadinha”: “Aguardem!”

Se liga nessa parceria de peso: Tainá Costa e Dadá Boladão, ambos conhecidos por mandarem bem demais no brega funk, gravaram ontem (21) o videoclipe da música “Sentadinha”, um brega daqueles que ninguém vai ficar parado. Sem data para o lançamento oficial, Tainá Costa mandou o papo: “Em breve lançamento da música nova Tainá Costa e Dadá Boladão no Canal KondZilla. Aguardem!” Pega a visão do spolier no Portal KondZilla

Gravado em Atibaia, interior de São Paulo, o videoclipe de “Sentadinha” promete agitar as ruas nos próximos meses. A música foi produzida pelo DJ Chavoso.


Tainá Costa é dona de hits como: “Paralisa e Treme” (30 milhões de visualizações no Youtube), “Aquecimento da Tainá Costa” (47 milhões), “Solta a Ousadia” (23 milhões) e por aí vai. Dadá Boladão tem nas lista de sucessos: “Surtada Remix Brega Funk“, com Tati Zaqui e OIK (246 milhões de visualizações no Youtube), “Bate com Vontade“, com MC Dricka e Tarik Lima (29 milhões) e “Paredão“, com Kevinho e Jottapê (75 milhões).

Tá curioso para o lançamento de “Sentadinha”? Então, se liga que Dadá Boladão já deu a dica: “Vocês vão acompanhar tudo no Canal KondZilla, fiquem de olho”. 

Acompanhe Tainá Costa no Instagram

Acompanhe Dadá Boladão no Instagram 

Categories
Bregafunk Dança Funk

Ídolo de K-pop, Kino rebola ao som de “Só Você” em desafio de brega-funk

O aplicativo do momento é o Tik Tok, com certeza você já viu muitos desafios rolarem sua timeline ou conheceu alguma música através de uma dancinha viral. Outra grande sensação ao redor do mundo é o K-pop. Já imaginou unir essas duas sensações do momento? Foi o que fez a revista norte-americana “Cosmopolitan“, ao colocar Kino, integrante do grupo sul-coreano Pentagon, pra dançar na levada “Só Você”, sucesso de MC Rogerinho, com Léo Santana e Kevinho

A publicação possui um quadro chamado “Tik Tok Challenge Challenge” (Algo como desafio do desafio do Tik Tok), que une artistas desafiando-os, de quebradinha, para ver quem se sai melhor nas coreografias virais da plataforma. Na última edição, os convidados foram os jovens do grupo de K-pop Pentagon e na lista de músicas estava “Só Voce”.

Assista à dancinha de Kino a partir de 1,14

O desafio que viralizou graças à dançarina Ramana Barbosa, autora da dancinha especial para o som. O funk bomba no aplicativo, com aumento expressivo durante a quarentena, sendo uma opção de entretenimento já que aglomerações ainda não são permitidas. 

MC Rogerinho, artista de Sobral interior do Ceará, já é um dos grandes nomes de forró, e sua música “Só Você” conta com mais de 30 milhões de visualizações no Youtube, e 28 milhões de reproduções no Spotify. 

É sempre divertido assistir pessoas de outros países dançando nosso amado funk. No vídeo, Kino se saiu muito bem acompanhando os passos de Ramana, mas, infelizmente, ele não venceu o desafio. E você? Arriscaria entrar na dança?

Categories
Funk Consciente 150BPM Produtor / DJ Bregafunk Funk

MCs Liro, Mari…: 10 promessas para o funk

Entre artistas consolidados e iniciantes, as produtoras costumam trabalhar suas joias para que elas possam brilhar ainda mais no cenário do funk. Por isso, não é surpresa quando notamos um rostinho ou voz diferente estrelando os palcos dos mandelas afora. Com base nos números do Youtube, buscamos alguns nomes que, solo ou não, vêm se destacando como apostas para o futuro. Quer saber mais e conhecer novos sons? Cola com o Portal KondZilla

MC Piedro

Artista da Love Funk Produtora, MC Piedro está com alguns sons andando, como: “Conheci Uma Mina” (1 milhão de visualizações no Youtube); “6 da Manhã“, com MC Lipi (2,7 milhões); “Realidade Capotar“, com MC Paulin da Capital (1,5 milhão); e participação no “Set DJ GM 2.0” (41 milhões). No Insta, Piedro vem crescendo e alcançando assim a marca de 50 mil apoiadores de seu trabalho.

MC Liro 

Artista da Love Funk Produtora e da KondZilla Records, MC Liro vem sendo reconhecido nos últimos meses por mandar bem no funk conciente. O artista é dono de sons como: “Que Saudade Eu Tô” (600 mil visualizações no Youtube); “Saudades da Quebrada” (540 mil); “Vacilei“, com MC Suh (570 mil); “Não Vou Mais“, com MC Lele JP (1,5 milhão); e também participa de “Love Acústico“, do DJ Totu (11 milhões). No Instagram, ele ultrapassa a marca dos 100 mil seguidores e você pode conferir a história dele aqui no Portal KondZilla. 

MC Kako

Passeando entre o funk e o trap, MC Kako é uma aposta da produtora Sonar Music, o artista tem alguns sons na rua como: “Tempo” (260 mil visualizações no Youtube); “Malote no Bolso” (185 mil); “Sabe Aonde que Eu To” com MC Leozinho ZS (600 mil); “Quem Dera” com MC Joãozinho VT (800 mil); e também participa do “Set DJ Boy” (2 milhões). No Instagram, MC Kako tem 16 mil seguidores, mas promete conquistar o coração do público com o funktrap nos próximos tempos.  

MC Luan SP

MC Luan SP é uma aposta da produtora Encontro de MC’s. Aos 14 anos, o artista mirim está nos primeiros passos da carreira e lançou seu primeiro videoclipe com a música “Sou Luz“, onde já alcança a marca de quase 1 milhão de visualizações no Youtube. Luan SP ficou conhecido por aparecer no medley ao lado de MC Neguinho da BRC, já experiente na cena. No Instagram, o artista tem 16 mil seguidores e no Facebook um pouco mais de 21 mil. 

MC Teteu 

MC Teteu ficou conhecido por emplacar o hit natalino de 2019. Exclusivo da produtora GR6 Music, o artista mirim passeia pelo funk ousadia e tem diversas músicas como: “Dingo Bell” (47 milhões de visualizações no Youtube); “Eu Sou Pivete Mas Não to Moscando” (4 milhões); e “Plataforma Guarujá” (3,2 milhões). No Instagram, o artista tem 169 mil seguidores. 

MC Suh e MC Nay 

A dupla Suh e Nay são as minas da Tenera, juntas as artistas da Love Funk Produtora alcançam milhões em sons como: “Tenera” (2,8 milhões de visualizações no Youtube); “Vida Insana” (1 milhão); “De Buxixo to Legal” (900 mil); as artistas participam ainda no “Set Mandrakinhos” (4 milhões). Ambas ultrapassam a marca de 100 mil seguidores no Instagram. 

MC Yuri 

Artista do funk ousadia, MC Yuri é uma aposta diretamente da KondZilla Records. É provável que você tenha ouvido um som dele nos bailes de quebra como: “Toma Na Pepekinha” (4,7 milhões de visualizações no Youtube); “Oh Yasmin” (2,5 milhões); “Porradão” com MC Neguinho do ITR  (950 mil); e sua participação no “Set DJ GM 2.0” (41 milhões). No Instagram, MC Yuri tem 53 mil seguidores. Aqui mesmo no Portal KondZilla, você ainda vai descobrir um pouco da história do artista e ficar sabendo que ele é a voz da vinheta “diretamente estúdios Love Funk“. 

Menor MC
 
Mais conhecido como Maluco No Pedaço, Menor MC é um artista da produtora Gree Cassua. Buscando seu espaço no cenário do funk paulista, ele tem sons como: “Carretão“, com MC Lipi (1,9 milhões de visualizações no Youtube); “Contei nos Dedos” com MC Lukay (300 mil); e “Amigo é Deus” (85 mil); além de participar da cypher “Favela na Cena” (5,3 milhões) e “Set Homenagem aos Relíquias” (5,7 milhões). No Instagram, Menor MC está chegando aos 20 mil seguidores. 

MC Mari 

Passamos por diversos gêneros do funk e agora vamos falar de brega funk, né? Artista da MK Produtora, MC Mari estourou durante a pandemia com o som “Xereca de Mel“, ao lado de Shevchenko e Elloco. Desde então, a artista lançou também o mandela “Soca Socadinha“; juntos, ambos os sons ultrapassam a marca de 30 milhões de visualizações no Youtube. No Instagram, MC Mari tem 145 mil seguidores e você pode conhecer melhor a caminhada da artista aqui no Portal KondZilla.  

Categories
Bregafunk Funk

Os brega-funks que fizeram sucesso na quarentena

Brega-funk tem cara de verão, de diversão e de carnaval, não é mesmo? Não é à toa que em 2019, um dos sucessos do carnaval foi “Tome na Pepeka”, um remix da música da MC Lucy e do DJ Gabriel do Borel, da dupla Shevchenko e Elloco. Agora em 2019, a música mais ouvida durante o feriado mais daora do ano foi “Tudo OK”, de Mila, Thiaguinho MT e JS o Mão de Ouro. Mesmo agora, com geral em casa, sem baile e sem festinha, o brega-funk continua em alta botando geral pra dançar seja na chamada de vida ou na faxina do dia a dia. Pega a visão.

Tudo no Sigilo 

Lançada pouco antes do isolamento social, “Tudo no Sigilo”, da Bianca e do Vytinho NG é até hoje uma das músicas mais ouvidas nas plataformas digitais e virou challenge [desafio] nas redes sociais. 

Amor Que Tu Perdeu

É hit no carnaval e na quarentena. Mila chamou o Jottapê pra música “Amor que Tu Perdeu”, que tem mais de 57 milhões de visualizações no YouTube. O som é um recado de uma mina que terminou um relacionamento e tá bem de boa querendo mais que o ex se exploda. 

Bate com Vontade

MC Dricka é sucesso no mandelão e no brega. As músicas da MC têm ganho vários remix e um deles é o “Bate com Vontade”, com o Dadá Boladão e o Tarik Lima.

No Batidão

Com 28 milhões de visualizações no YouTube, MC Henny, Bella Angel e Melody falam sobre serem aquelas minas que param qualquer baile.


Xereca de Mel

Outro hit que nasceu no mandelão, a música da MC Mari com produção do DJ Will DF ganhou um remix brega com a dupla Shevchenko e Elloco. 

Bota Bota

Conexão funk mineiro e o brega do recife tinha tudo pra dar certo, né? Pois deu, “Bota Bota” reúne MC Morena, MC Losk, Shevchenko e Elloco e 10G. 

Pede Chamando de Amor

Mais uma da MC Dricka que caiu nas graças do brega-funk, dessa vez com a dupla Shevchenko e Elloco, Biel Xcamoso e MC Marley. 

A festa a gente faz em casa trancado mesmo e lançar o passinho do brega é aquele jeito perfeito de extravasar e os bregas continuarem em alta mostra isso. Vale lembrar que já fizemos duas outras listas de funks que rodaram nos últimos tempos, dá uma olhada: lista 1, lista 2 

Categories
Bregafunk Matérias

MC Mari estourou no bregafunk durante a quarentena

Apesar da falta de baile, festinhas e sociais, teve muito funk estourado durante os últimos meses. Já falamos de alguns, como: “Na Raba Toma Tapão”, do MC Niack. Um dos sons que rodou pra caramba nas redes sociais foi “Xereca de Mel“, da MC Mari com a dupla Shevchenko & Elloco, que já tem mais de 15 milhões de visualizações no YouTube. O Portal KondZilla bateu um papo com a cantora baiana pra saber mais sobre esse sucesso. Chega mais. 

Antes de se tornar um brega-funk, “Xereca de Mel” era “Soca Socadinha“, um mandelão que a MC Mari fez com produção do DJ Will DF. Essa mistura tem bastante a ver com a vida da cantora de apenas 23 anos, nascida na Bahia. 

Mariana Kruschewsky, antes de se jogar no funk, passou por outros estilos musicais. “Comecei a cantar com 10 anos. Passei por algumas bandas de forró na época que morei em Sergipe e depois quando voltei pra Bahia, com 16 anos, entrei na banda ‘Na Pegada da Loira’. A gente fez sucesso com a música ‘Novinha Inteligente’’, comenta ela sobre o começo de sua carreira musical.

Apesar do começo no forró e de gostar de vários estilos musicais, MC Mari sonhava com o funk. “Sempre escutei funk, eu ia em festas e os bailes na Bahia eram mais diferentes, com mais paredões automotivos”. 

Com o sucesso de “Xereca de Mel”, MC Mari pode relembrar os velhos tempos. “Fiquei surpresa porque pude retornar às minhas origens de uma forma ou de outra. Sou nordestina com muito orgulho”, diz ela. “A música foi uma das mais ouvidas no Brasil e viralizou de uma forma que todo mundo tava gravando vídeo com ela. Não existe felicidade maior”. 

Com vários sons rolando nas redes sociais, a cantora baiana quer se jogar em vários gêneros da música brasileira.

Em tempos tão diferentes como esses que a gente viveu dentro de casa, MC Mari aproveitou pra compor mais músicas e descansar. “O resultado de tanto tempo compondo foi acertar mais alguns hits, como ‘Linguadinha’, ‘Cafetão e Cafetina’,’ e ‘Ai Amor‘, todas com mais de um milhão no YouTube”. 

De onde vieram esses hits vem muito mais e MC Mari tá focadona nos trampos, então já já teremos mais sons estourados por aí. 

Categories
Bregafunk Bastidores Funk

Jottapê e Mila estão juntos na dancinha pra zoar do ex

Depois do hit “Tudo Ok” ser o maior hino do Carnaval 2020, a cantora Mila está de volta com outro som viciante que também promete dar o que falar. Em “O Amor Que Tu Perdeu“, ela convocou o Jottapê, dos hits “Sentou e Gostou” e “Eterna Sacanagem” pra somar ainda mais nesse papo de zoar o ex. Cola com o Portal KondZilla pra conhecer os bastidores da gravação.

O videoclipe foi dirigido pelo Jotace, de 29 anos, que antes de virar diretor de videoclipe, era videomaker do Jottapê. “Virar diretor da KondZilla foi a realização de uns dos meus sonhos. Sempre acompanhei a KondZilla e chegar até aqui foi muito gratificante”, comenta ele. “Passar de videomaker pra dirigir o Jottapê num clipe foi muito bacana, nós dois ficamos muito felizes”.


Jottapê e Jotace no set

A música manda aquele recado pra todos os ex que não deram valor e terminaram, com direito a dancinha especial. Pra retratar a história, o clipe se passa em uma festinha em casa. “Depois de ouvir a música, logo tive a ideia de colocar a Mila e o Jottapê em uma festa, em que eles tentam chamar atenção dos crushs, mas não conseguem e vão curtir a festa com os amigos. Quando as paqueras deles vão atrás, eles já não tão afim “, explica o diretor.

O ano de 2019 foi uma reviravolta na vida dos cantores. O Jottapê estourou com “Sentou e Gostou” no meio do ano, e logo em seguida ganhou o Brasil como o MC Doni na série da Netflix “Sintonia”. De lá pra cá tudo mudou, mais e mais hits na conta, muitos shows e muitos sonhos realizados.

Já Mila largou a dupla de sertanejo e se jogou na carreira solo, e conseguiu estourar no final do ano com “Tudo Ok”, música com Thiaguinho MT e JS o Mão de Ouro, que se tornou o hit do carnaval 2020. O videoclipe do hit já tem mais de 124 milhões de visualizações e foi a música mais ouvida durante o feriado do carnaval no Spotify. Agora segura a Mila que a mina tá focada em lançar só bomba!

Acompanhe a Mila: Instagram
Acompanhe o Jottapê: Instagram

Assista também:

Categories
Coronavírus / Covid-19 Bregafunk Bem Estar Notícias

“Tudo Ok” vira música de conscientização sobre o coronavírus

“Tudo Ok”, de Thiaguinho MT, Mila e JS o Mão de Ouro, foi a música mais ouvida durante o carnaval e se tornou um hino que tocou em milhares de blocos ao redor do Brasil. A música, com um refrão que gruda na cabeça de todos, virou agora uma aula de como espantar o coronavírus. Saca só.

Pra conscientizar os amigos da escola, uma turminha de uma escola lá do Recife recriou a música pra uma mensagem sobre como prevenir o coronavírus.

A ideia também apareceu em outra escola, mas com a letra um pouco diferente, mas ainda na mesma pegada de conscientização.

 

Além do “Tudo Ok” contra o coronavírus, surgiu o meme das músicas. A maior arma contra a doença é lavar bem as mãos, só que muita gente não sabe lavar a mão propriamente.

Segundo os médicos, o tempo certo de lavar a mão é 20 segundos, ou cantar a música do parabéns pra você inteira duas vezes. Na internet, o pessoal veio com outras opções de trechos de música pra te ensinar a lavar a mão certinho:

https://www.instagram.com/p/B9ruZ5tJ3Rg/

Com tantas notícias sérias, as brincadeiras que ajudam a espalhar informações dão uma leveza pra situação. Vamos continuar espalhando informações sérias, sejam elas por meme ou não! O importante é se conscientizar.

Leia também:

10 perguntas para entender o Coronavírus
Prefeitura de SP cancela todos os eventos públicos na cidade

Categories
Bregafunk Matérias Funk

“Faltava uma música para empoderar as mulheres”, diz Mila sobre “Tudo OK”

“Cabelo ok, marquinha ok, sobrancelha ok, unha ta ok…” é impossível você não reconhecer essa frase. A música “Tudo Ok” é um grande hit e o videoclipe, que conta com mais de 49 milhões de visualizações, é uma aposta para o carnaval. Se você conhece esse brega funk que juntou JS o Mão de Ouro, Thiaguinho MT e a Mila, encosta no Portal KondZilla que a gente bateu papo com a mulher que chegou para empoderar ainda mais as mulheres.

Camila Braga tem 31 anos, nasceu em Santos e veio para a capital paulista atrás do seu sonho, é conhecida pelo nome artístico Mila e compõe o time de artistas da KondZilla Records. Talvez você não saiba é que a cantora já tem uma longa estrada no meio musical. Cantando desde pequena, ela já participou de algumas bandas e por muito tempo fez parte da dupla sertaneja Haniel & Camila chegando até por programas de talentos na televisão. Mila conta que sempre foi ligada à artes: “Fiz teatro, música, dança, então sempre soube que era isso que eu queria”.

Durante seu período na dupla, a música “Gelo na Balada” estourou em todo o Brasil com a participação de dois grandes nomes sertanejos: Fernando e Sorocaba. A mudança para o funk não foi uma surpresa para os fãs da dupla, já que em seus shows tinha um momento especial para o ritmo. “Eu o Haniel sempre tivemos uma sintonia muito boa, mas chegou o momento que em ambos queriam seguir seu próprio caminho e viver o seu sonho da sua maneira”, conta Mila sobre o fim da dupla.

“Foi então que surgiu a oportunidade de gravar com a Taína Costa e Jojo Todynho em que a música de um dia para o outro bateu um milhão. Foi uma mistura, eu gosto muito delas. No meu show a gente sempre fazia uma parte de funk e todos iam a loucura”, comenta sobre seu primeiro trabalho com funk.

Assim como Thiaguinho nos contou sobre “Tudo Ok”, Mila também contou como o convite foi especial pra ela. “Eu ia produzir um som diferente com o JS e o Thiaguinho falou ‘bora participar a gente te considera uma mulher forte’. Quando escutei a música achei incrível”, relembra a cantora. “Estava faltando um som assim no brega funk que defenda e levante as mulheres”.

O sucesso de “Tudo Ok” é algo estrondoso o clipe tá batendo quase 50 milhões de visualizações. Quando fizemos a entrevista, tinha somente 30 milhões: “30 milhões foi um número inesperado, a gente sempre acredita no trabalho porque fazemos com carinho e amor, esperando o melhor sempre, mas surpreendeu as nossas expectativas. Eu sou só gratidão”, conta a funkeira.

Amante da música brasileira, ela sonha em gravar com a Ivete Sangalo. Mila também é compositora e gosta de escrever sobre tudo que se identifica: “Eu procuro me identificar de alguma forma, às vezes é uma história parecida comigo ou conheço alguém que viveu isso. Busco sempre passar algo positivo”.


Foto por: Karolyn Andrade

A funkeira se define como alegre e usa as redes sociais para se aproximar mais do seu público para ajudá-las de alguma forma. “Quero fazer as pessoas acreditarem nelas, que sejam quem elas querem ser, apesar de vivermos em uma sociedade onde tudo é criticado, é ruim”.

O brega funk só veio para ressaltar que o Nordeste está presente nos ritmos mais escutados em todo o país. Mais do que um gênero musical, o som passa a vivência e resistência dos artistas da região. “Eu acredito demais no brega funk, tenho sido aceita com muito carinho, quero levar o estilo para mais longe. É um ritmo contagiante e que a gente pode levar uma mensagem, igual fizemos em “Tudo Ok”‘, conta Mila.

O empoderamento na música é um dos maiores destaques, faz com que a mulher se sinta ainda mais forte. “Me identifiquei muito com a letra, tinha passado recentemente por uma situação delicada, embora a letra não tinha nada haver com o que aconteceu”, confessa Camila.” A música serviu para fazer com que as mulheres que elas são maravilhosas de suas maneiras e que elas podem se arrumar para se sentirem bonitas independente se vão brotar no bailão ou não”.

A sofrência é sempre inevitável, mas vamos combinar não dá para ficar para baixo toda hora então bora seguir o conselho da Mila e dar a volta por cima ouvindo “Tudo Ok”.

Acompanhe a cantora no Instagram para saber os próximos passos.

Leia mais:

Produtor musical de Tudo ok; e Hit Contagiante, JS o Mão de Ouro comemora o crescimento do ritmo
Tudo Ok mostra que as redes sociais estão de mãos dadas com os hits do momento

Thiaguinho MT e a história de Tudo Ok um dos possíveis hits do Carnaval

 

Categories
Produtor / DJ Bregafunk Matérias

Produtor musical de “Tudo ok” e “Hit Contagiante”, JS o Mão de Ouro comemora o crescimento do ritmo

Se o brega funk está onde está hoje, uma das pessoas que foi fundamental para esse processo de crescimento do ritmo é o JS o Mão de Ouro, produtor de hits como “Surtada“, “Hit Contagiante“, “Sentadão” e “Tudo Ok“. No corre há oito anos, hoje JS colhe os frutos de sua dedicação. 

Assim como muitos artistas, JS, Jonathan Ramos do Santos, de apenas 23 anos, precisou ralar até ter reconhecimento. Cria do Jardim Paulista Baixo, lá de Pernambuco, o produtor foi estourar depois de oito anos de carreira.  “Tô nessa caminhada vai fazer oito anos, só comecei a ter reconhecimento de 2019 pra cá depois de ‘Hit Contagiante'”, comenta JS o Mão de Ouro. 

Na época do remix de “Evoluiu” com o Felipe Original, que deu origem a “Hit Contagiante“, ele ainda era JS no Beat. O remix em brega funk da música do Kevin o Chris se tornou um sucesso tão grande que é até difícil de contar quantas visualizações o hit tem no YouTube já que são vários uploads diferentes, mas podemos dizer que tem mais de 100 milhões de views. No Spotify, o som já foi ouvido mais de 83 milhões de vezes. É hit que chama?

Essa foi a primeira de uma sequência de sucessos, depois veio “Surtada“, um brega trap com Dadá Boladão, que soma mais de 150 milhões de visualizações no YouTube. “Essa música a gente fez do zero. Dadá colou no estúdio que eu tinha em Recife, a gente passou o sample do trap pra brega e fizemos a letra”, comenta ele. 

Depois de “Surtada”, vieram mais duas: “Tudo Ok“, com Thiaguinho MT e Mila, e “Sentadão”, com Pedro Sampaio e Felipe Original. Entre as dez músicas mais tocadas no Spotify Brasil, três são produzidas por ele. Além de ser um sucesso do próprio JS, todos esses números também mostram o crescimento do brega funk. “É muito legal ver que o brega tá se expandido cada vez mais”, comemora o produtor. “É bom ver que os artistas do Recife tão crescendo e que os artistas dos outros lugares tão apostando no brega e crescendo também, tipo meu amigo Thiaguinho MT”.

 

Além do crescimento do ritmo e do reconhecimento dos artistas do brega, o movimento ainda tem outro ponto crucial: o passinho, que além de ajudar a divulgar as músicas e ser a cara do ritmo, ainda tem um valor social. “A dança tirou muitos jovens das drogas, isso que é legal. A galera da vida errada foi pro passinho”.

Nova batida

Um dos motivos do sucesso tremendo das músicas produzidas pelo JS o Mão de Ouro é a diferença que ele trouxe pro hit. A base do brega é batida de latinha, mas ele trouxe algo mais especial pras suas produções. “A latinha já existia no brega funk e eu atualizei ela com as panelas da minha vó”, conta ele. “Fiquei batendo a panela no fone e sai juntando todos os sons que saia. Assim surgiu essa batida nova, que explodiu”. 

Trazer uma novidade pro cenário musical não é só sorte, JS diz que pra chegar onde está hoje, existe muito estudo envolvido. Ele, inclusive, considera que todos esses quase oito anos esperando pra estourar foram de preparação e aprendizagem. “Comecei a produzir vendo tutoriais no YouTube”, comenta JS sobre o pontapé inicial. “A gente estuda ouvindo tudo que é tipo de música. Isso ajuda a abrir nossa mente”. 

Desses estudos surgiu a união do brega com o trap em “Surtada”, e JS garante que quer continuar experimentando outras misturas. “Quero fazer um brega com reggae, com reggaeton. To dando uma estudada”, comenta ele. Quando a gente colou no estúdio dele lá na produtora Los Pantchos, do Marcelo e Rita Soares, para a entrevista, rolou uma sessão super especial dos próximos lançamentos do JS e olha, ainda tem muita mistura inusitada vindo por aí que não vou soltar spoiler. 

Próximos passos

Por causa do sucesso, JS acabou vindo pra São Paulo. Contratado pela Los Pantchos, o produtor está há três meses morando na capital paulistana. Além de continuar os trampos aqui de São Paulo e continuar estudando misturas, JS pretende se colocar mais e mais nas músicas. Uma amostra disso é “Ela Fez um Lomotif“, com Thiaguinho MT, que ele também canta. 

“Acho muito legal ver os DJs cantando mais, tipo o Pedro Sampaio e o Dennis DJ”, diz ele sobre o reconhecimento que os produtores. “Quero cantar mais nas minhas músicas. Na música com Thiaguinho e Rennan que vai sair, eu canto também”. 

Seja no passinho, na produção ou no gogó, o JS o Mão de Ouro é um dos nomes pra se ficar de olho em 2020. Se em 2019 ele foi um dos destaques, agora é só ficar aguardando as próximas peripécias do produtor. 

Acompanhe o JS o Mão de Ouro: Instagram

Faltava uma música para empoderar as mulhere;, diz Mila sobre Tudo OK
Tudo Ok mostra que as redes sociais estão de mãos dadas com os hits do momento

Thiaguinho MT e a história de Tudo Ok um dos possíveis hits do Carnaval

 

Categories
150BPM Bregafunk Matérias

MC Ingryd, do sucesso “Vem me Satisfazer”, fez funk pra fazer ciúmes no namorado

“Vem Me Satisfazer”, da MC Ingryd, surgiu por acaso e hoje a versão original da música está em primeiro lugar do top viral brasileiro do Spotify, e o remix brega-funk, com DJ Pernambuco e MC Elvis, está em sexto lugar na mesma playlist. No meio disso tudo, a MC carioca se tornou artista da KondZilla Records e trocou uma ideia com a gente sobre essa reviravolta que a vida dela tá dando.

“Eu não esperava que um som que eu escrevi pra fazer ciúme pro meu namorado daria nisso tudo”, comenta Ingryd Rainha, 19 anos. Sim, ela não é só rainha das paradas, o sobrenome dela é esse mesmo. Achei digno.

O funk, que no YouTube passa das 5 milhões de visualizações, é o primeiro sucesso da MC que na real começou cantando trap. “Comecei no funk com 18 anos. Antes de escrever meus funks, eu era do rap/trap”, comenta ela. “Eu gravava no estúdio do meu amigo Artur, aqui da Vila Kennedy (Bangu, no Rio de Janeiro) e do nada decidi gravar um funk”.

O primeiro sonho da Ingryd era ser atriz. “Na verdade, eu não sei se queria ser cantora, sempre quis ser atriz, mas cantava na igreja quando era menor”, comenta ela.

Ingryd cresceu em Campo Grande, no Rio de Janeiro, mas se mudou pra VK e conheceu o Artur e o Leonardo, dois caras que já tão na cena do trap. “Eles tavam precisando de uma voz feminina na música deles e pediram pra eu colocar a voz e nisso eles começaram a me incentivar a cantar porque eu tinha voz”.

Ela começou então a canetar suas músicas e chegou a lançar dois traps, sendo um deles ‘Sem Limites’, ao lado dos amigos do estúdio. “Depois disso, eles começaram a me ajudar em tudo, principalmente, em como escrevia. Nisso, eles me apresentaram o DJ Henrique da VK e comecei a fazer funk”.

O primeiro funk da Ingryd foi uma paródia de “Sinto Sua Falta”, do Ferrugem. “Essa aí não estourou nem nada. Mas não desisti e depois de um tempo fiz ‘Vem Me Satisfazer’ com o Henrique. Um empresário gostou e quis investir no videoclipe. Eu que organizei tudo, o local, as pessoas, tudo”, lembra ela.

“Tudo isso aconteceu porque eu tava gostando de um cara. Tudo pra provocar ele”, conta ela rindo. “A ‘Sinto Sua Falta’ eu fiz quando eu tava mega apaixonada, e a ‘Vem Me Satisfazer’ era de quando eu já tava cagando pra ele… Acabou que hoje em dia a gente tá namorando!’.

Hoje, um dos meios de saber se um som é bom é se em pouco tempo ele ganha um remix brega funk e claro que “Vem me Satisfazer” ia ganhar um remix. Aliás, um não, alguns. “A primeira que saiu foi de um cara chamado Beko Boladão e do nada ela estourou. Aí o MC Elvis me chamou pra fazer uma nova versão com ele e o DJ Pernambuco“. Esse feat, que tá no canal KondZilla, já tem quase 3 milhões de visualizações. “Eu amei muito, vou fazer mais bregas, inclusive, tem um pra sair com o Dadá Boladão“, comenta ela. Vale lembrar que Dadá Boladão também fechou recentemente com a KondZilla Records.

“Entrar na KondZilla é o sonho de qualquer pessoa, pelo menos era o meu”, celebra ela. “Graças a Deus isso aconteceu muito rápido. Uma das minhas maiores inspirações é a Lexa, e eu espero que minha carreira ande que nem a dela”.

Além da Lexa, Ingryd também é muito fã da Ludmilla e da Pocah, que inspiram muito ela. A outra paixão, o rap, não vai ficar de lado. “Trap funk é a minha paixão e agora pretendo fazer vários”. Esse é só o começo da estrada da MC Ingryd, que tem tudo pra continuar lançando só hit.

Acompanhe a MC Ingryd: Instagram